Covid-19: corpo de criança fica mais de 24h aguardando remoção no Hmib

Denúncia feita pelo Sindesv-DF rodou as redes sociais. Segundo as imagens, o corpo teria ficado em uma sala ao lado da entrada do pronto-socorro

A denúnci teria sido feita junto ao Sindicato dos Vigilantes do Distrito Federal (Sindesv-DF) – (crédito: Material cedido ao Correio )

O corpo de uma criança de 4 anos que faleceu por covid-19 teria esperado por mais de 24 horas pela remoção no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib). De acordo com denúncia feita pelo Sindicato dos Vigilantes do Distrito Federal (Sindesv-DF), nesta terça-feira (30/3), o corpo da criança ficou em uma sala ao lado da entrada do pronto-socorro sem as devidas proteções necessárias para evitar a contaminação dos funcionários e pacientes que passavam pelo local.

Segundo um dos diretores do sindicato Gilmar Rodrigues, a entidade recebeu a reclamação dos vigilantes do local. “Eles estavam preocupados com a segurança do ambiente em que trabalham, já que a covid-19 é contagiosa”, explicou. Porém, segundo Gilmar, as fotos que circulam não foram tiradas pelos vigilantes. “Eles nos alertaram e nos fomos até lá verificar a situação”, disse.

De acordo com as imagens e vídeos, a sala em que o corpo teria ficado é aberta e muito próxima à entrada e local de espera do pronto-socorro. A Secretaria de Saúde do DF,por meio de nota, informou que “o corpo permaneceu na sala de transição, seguindo todas as orientações e normas sanitárias, aguardando a conclusão dos trâmites entre a família e a funerária. Tudo foi feito seguindo os critérios estabelecidos. O corpo da criança já seguiu para a funerária.”

Outros casos

Há alguns dias, imagens gravadas por servidores de unidades localizadas no Guará e em Ceilândia, regiões do entorno de Brasília, mostram um corpo ensacado no piso. Em outra situação, há uma vítima da doença já sem vida enrolada em panos, sobre uma maca.

Sobre o caso ocorrido em Ceilândia, a secretaria de Saúde, na época, afirmou que o corpo ficou no corredor porque “houve, sim, um atraso no procedimento em função do volume corporal e a indisponibilidade, naquele momento, de invólucro compatível com as dimensões do corpo”.

Carregar Mais Publicações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ERROR: si-captcha.php plugin: GD image support not detected in PHP!

Contact your web host and ask them to enable GD image support for PHP.

ERROR: si-captcha.php plugin: imagepng function not detected in PHP!

Contact your web host and ask them to enable imagepng for PHP.

Veja também

Entidades médicas lançam protocolo para triagem de pacientes da UTI

Associação Médica Brasileira divulgou nesta sexta-feira (9/4) protocolos que podem ser usa…