Covid: GDF convoca cirurgiões-dentistas para apoio na aplicação de vacinas e atendimento de pacientes intubados

Secretaria de Saúde divulgou circular com determinações para remanejamento de parte dos servidores durante pandemia. Pasta pede mudança de fluxo em cirurgias eletivas.

Leito de UTI no DF — Foto: Reprodução / TV Globo

A Secretaria de Saúde (SES-DF) divulgou, nesta quinta-feira (25), uma circular com determinações para reorganizar o fluxo de atendimento de pacientes com Covid-19, na rede pública de saúde do Distrito Federal. A medida vale até o dia 5 de abril.

Uma das mudanças é a transferência parcial de cirurgiões-dentistas para cuidar da saúde bucal de pacientes que estão intubados nos hospitais e o remanejamento desses profissionais também para apoio na aplicação de vacinas em pontos de imunização.

Também foram determinadas mudanças no fluxo de cirurgias eletivas. Os procedimentos não emergenciais continuam suspensos, com exceção das cirurgias cardiovasculares, oncológicas, transplantes e judicializadas. No entanto, o documento orienta que as unidades reorganizem o fluxo para manter a realização desses procedimentos.

Segundo a Secretaria de Saúde, os casos cirúrgicos serão regulados e direcionados para a rede contratada da pasta no seguinte fluxo

  • Cirurgias de Transplantes: serão realizadas em clinicas oftalmológicas, Instituto de Cardiologia (ICDF), Hospital Universitário de Brasília (HUB) e no Hospital de Base;
  • Cirurgias cardiovasculares: serão realizadas no ICDF, no HUB e no Hospital de Base;
  • Cirurgias oncológicas: realizadas no Hospital da Criança de Brasília, HUB e nos Hospitais de referência da SES-DF.

Remanejamento de profissionais e exames

A Secretaria de Saúde também fará um remanejamento temporário de profissionais da atenção secundária para atuação no atendimento a pacientes com Covid-19 e apoio nos pontos de vacinação contra a doença. No entanto, segundo a pasta, as mudanças não irão impactar nas consultas com especialistas das áreas de cardiologia, endocrinologia, reumatologia, nefrologia e oncologia.

Além disso, médicos anestesistas serão realocados para o atendimento aos pacientes com necessidade de intubação orotraqueal em outros setores além dos centros cirúrgicos.

Os residentes que atuam nas unidades públicas do DF deverão dar apoio no atendimento do paciente portador de Covid-19 nos hospitais, ou unidades básicas de saúde, ou na regulação médica. A carga horária deverá ser de 24 horas semanais.

A Secretaria informou que também estão mantidos os exames de:

  • pré-natal de alto risco
  • ecografia gestacional
  • ostomia
  • pé diabético
  • neurológico
  • infectológico (para HIV/Aids e infecção sexualmente transmissível)

Durante esse período, estão suspensas as concessões de novas licenças de servidores.

Circular anterior

No início da semana, uma outra circular da Secretaria de Saúde, que falava sobre medidas mais drásticas no combate à pandemia, e assinada pelo secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Petrus Sanchez, havia sido divulgada. O documento previa o fechamento de serviços e unidades hospitalares e ambulatórios para pacientes que estivessem com outras doenças, que não a Covid-19.

No entanto, a pasta informou que o documento ainda estava em “fase de análise no ambiente técnico” e que ainda estaria em processo de validação pelo gabinete do secretário Osnei Okumoto.

Situação do DF

De acordo com o boletim mais recente da Secretaria de Saúde, divulgado nesta quinta-feira (25), o DF registra 5.610 e 335.153 infectados.

Também nesta quinta-feira, o Laboratório Central de Saúde Pública do Distrito Federal (Lacen-DF) identificou a variante do Reino Unido, conhecida como B.1.1.7, em um paciente infectado em Brasília.

O Lacen-DF sequenciou 44 amostras, considerando aquelas de pessoas com suspeita de reinfecção, pacientes que vieram de Manaus (AM), e outros pacientes escolhidos aleatoriamente, com suspeitas de cepas de Covid-19. Os resultados mostraram as seguintes variantes:

  • P1 – identificada em Manaus: 24 infecções
  • P2 – cepa do Rio de Janeiro: 14 infecções
  • B.1.128 e B.1.1.143 – encontrada em diversas regiões do Brasil: cinco infecções
  • B.1.17 – variante do Reino Unido: 1 infecção

Morte de jovens

Em coletiva de imprensa, nesta quinta-feira, o secretário de Saúde Osnei Okumoto comentou sobre a mudança nos dados de mortalidade de jovens na capital.

De acordo com levantamento do GDF, o percentual das mortes de pessoas com 30 e 39 anos cresceu 243% considerando os números de março de 2021 comparado a todo o ano de 2020.

Na mesma comparação, a pasta afirma ainda que o óbito de pessoas com 40 a 49 anos cresceu 46%.

Carregar Mais Publicações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ERROR: si-captcha.php plugin: GD image support not detected in PHP!

Contact your web host and ask them to enable GD image support for PHP.

ERROR: si-captcha.php plugin: imagepng function not detected in PHP!

Contact your web host and ask them to enable imagepng for PHP.

Veja também

Com vacinação mais lenta, abril projeta mais de 80 mil mortes por covid

Variantes mais agressivas e aumento das mortes entre os mais jovens mostram que distanciam…