“Quem não quer ter arma, é só não comprar”, disse o presidente.Ele ainda sugeriu à ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber que dispensasse seguranças

(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press

O presidente Jair Bolsonaro comentou, na noite desta quinta-feira (17/06), o caso do criminoso Lázaro Barbosa, assassino de uma família inteira no Distrito Federal e procurado pela polícia há nove dias. O chefe do Executivo aproveitou para defender o porte de armas.

“Tem um maníaco na região do DF e GO cometendo barbaridade, matando gente, estuprando… Esse elemento tentou entrar numa chácara e foi repelido porque o cara tinha uma calibre doze lá dentro.
Os bandidos estão armados, você não tem paz nem dentro de casa. Eu não consigo dormir, apesar de uma segurança enorme aqui no Alvorada, sem ter uma arma do meu lado”, apontou.

“Quem não quer ter arma, é só não comprar. Não tem problema nenhum. Agora, se estiver sofrendo uma invasão, até pegar o telefone e ligar, muitas vezes a polícia leva horas. Uma arma é sua defesa, ou será que você não se garante? Arma protege a sua vida, sua família. Arma não mata; quem mata é o elemento que está atrás dela”, afirmou Bolsonaro.

O presidente também ironizou a ministra Rosa Weber, ao criticar decisões contrárias à ampliação do porte e da posse de armas. “A Rosa Weber deu várias canetadas, não sei se ela tem segurança policial, deve ter policial federal com ela. Deveria não ter para dar exemplo”, disse, concluindo que, enquanto for presidente da República, “lutará para que o cidadão de bem tenha arma”. Mais cedo, Bolsonaro defendeu que “arma deixa você dormir em paz”.

Escreva um comentário