Atacante do PSG disse ter passado ‘por muitas coisas nos últimos anos’, enquanto treinador pediu que não se crie expectativa excessiva em cima do jogador do Flamengo 

Neymar foi as lágrimas logo após a vitória da Seleção Brasileira sobre o Peru, por 4 a 0, nesta quinta-feira. Em entrevista, assim que saiu de campo, o jogador falou do seu novo recorde com a camisa do Brasil. Com o gol que marcou na partida, ele chegou a 68, um a mais do que Ronaldo Fenômeno, com quem dividia a posição de segundo maior goleador da seleção, atrás apenas de Pelé.

Durante a sua resposta, o jogador se emocionou e chorou. Ele disse que passou por muita coisa nos últimos dois anos — fora dos gramados, ele foi acusado de estupro e assédio.

— É óbvio que, para mim, é uma honra muito grande fazer parte da história da seleção brasileira. Para ser bem sincero, meu sonho sempre era jogar pela Seleção, vestir essa camisa. Nunca imaginei chegar a esses números. Para mim, é até emocionante, porque passei por muita coisa nesses dois anos, que são bem difíceis, complicadas, e esses números não são nada. A felicidade que eu tenho de jogar pelo Brasil, de representar meu país, minha família — disse o jogador.

Neymar foi o autor do segundo gol da vitória do Brasil sobre o Peru pela segunda rodada da Copa América.

TITE PEDE CALMA 

Em entrevista coletiva, Tite foi perguntado sobre o desempenho de Gabigol, que não foi bem na partida e foi substituído no intervalo. O treinador pediu que não se crie uma expectativa excessiva em cima do jogador e garantiu que ele terá novas oportunidades na seleção:

— Calma. O futebol é feito de calma, senão a gente cria uma expectativa excessiva de que o jogador já tem que entrar e produzir tudo o que ele faz no clube. Futebol é uma engrenagem, ele demora um pouquinho até se ajustar. No segundo tempo, usamos um número excessivo de atacantes, porque a gente achou que era o que o jogo pedia. Talvez, se tivesse o Everton com Gabriel e Neymar, seria melhor. Esses ajustes, a gente tem que ter calma. A gente vai trabalhando essas situações.

O Brasil volta a campo na próxima quarta-feira, também no Nilton Santos, para enfrentar a Colômbia.

Escreva um comentário