O Departamento de Comércio disse que visa criar e manter “um diálogo aberto sobre semicondutores e questões da cadeia de suprimentos” e que deseja reunir fornecedores e consumidores de chips

EUA: como parte de seu plano de infraestrutura, Biden propôs US$ 50 bilhões em financiamento para pesquisa e desenvolvimento de semicondutores (Wikimedia Commons/Wikimedia Commons).

A secretária de Comércio dos Estados Unidos, Gina Raimondo, planeja uma reunião com empresas afetadas pela escassez global de semicondutores, que incluirá as maiores fabricantes de chips e montadoras do país, segundo pessoas a par dos planos.

Raimondo convocará a reunião no dia 20 de maio, de acordo com convite enviado às empresas e obtido pela Bloomberg News. No convite, o Departamento de Comércio disse que visa criar e manter “um diálogo aberto sobre semicondutores e questões da cadeia de suprimentos” e que deseja reunir fornecedores e consumidores de chips.

As empresas convidadas para a reunião virtual incluem Intel, Taiwan Semiconductor Manufacturing Co., Samsung Electronics, Google, Amazon.com, General Motors e Ford Motor, disseram pessoas com conhecimento do assunto.

A Casa Branca e uma porta-voz do Departamento de Comércio não responderam de imediato a um pedido de comentário.

Raimondo reiterou na semana passada que é improvável que o governo encontre uma solução rápida para a falta de chips, que tem paralisado fábricas de automóveis na América do Norte e causado atrasos na produção de eletrônicos e equipamentos médicos.

“Estamos trabalhando nisso, mas não há uma solução rápida”, disse Raimondo na sexta-feira, após reunião com o presidente dos EUA, Joe Biden, e outros membros do gabinete sobre infraestrutura.

“Estamos em contato constante com montadoras, com empresas de semicondutores. Vamos tentar fazer o que pudermos para amenizar a escassez no curto prazo, mas, no longo prazo, a solução é depender menos da China e de Taiwan e fabricar mais chips na América”, acrescentou.

Como parte de seu plano de infraestrutura, Biden propôs US$ 50 bilhões em financiamento para pesquisa e desenvolvimento de semicondutores. A medida tem apoio bipartidário no Capitólio e pode avançar como parte de um projeto de lei de competitividade mais amplo em relação à China, que provavelmente terá um cronograma mais rápido do que a proposta de Biden.

No mês passado, o presidente dos EUA e assessores convocaram uma reunião para debater questões da cadeia de suprimentos de semicondutores na Casa Branca. A expectativa é que muitas das empresas que participaram dessa reunião participem do encontro com Raimondo.

A equipe do Departamento de Comércio deve se reunir nesta semana com representantes corporativos para elaborar a agenda da cúpula de Raimondo, de acordo com pessoas a par do assunto.

Escreva um comentário