Deputados trabalham para criar CPI do combate à pandemia

Nos últimos dias, Maia declarou ser favorável à abertura de uma CPI como forma de apurar as ações do Ministério da Saúde no combate ao novo coronavírus

(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

Prestes a deixar a Presidência da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) pode dar sua última cartada contra o governo, nos próximos dias, ao aceitar a abertura de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para apurar a gestão do Executivo no combate à pandemia. Ontem, integrantes de seis partidos da oposição começaram a recolher as assinaturas necessárias para protocolar o pedido contra o presidente Bolsonaro na Casa.

Estamos iniciando o processo de coleta de assinaturas para uma CPI na Câmara, focada na análise do desempenho do governo federal na saúde pública”, afirmou o líder da minoria na Casa, deputado José Guimarães (PT-CE).

A intenção dos partidos de esquerda — PT, PSB, PDT, PSol, PCdoB e Rede — é de que as 171 assinaturas necessárias sejam recolhidas até amanhã. Com isso, caberia a Maia acatar ou não a abertura da investigação. Ele deixa o cargo na próxima segunda-feira, após as eleições da Mesa Diretora.

Nos últimos dias, Maia declarou ser favorável à abertura de uma CPI como forma de apurar as ações do Ministério da Saúde no combate ao novo coronavírus. O presidente da Câmara afirmou que não tinha dúvidas de que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, cometeu crime.

Os partidos de oposição dizem ter recebido de Maia uma sinalização de que poderia acatar o pedido da CPI, caso houvesse argumentos pertinentes. “O ambiente para a materialização da CPI é muito forte aqui dentro. Posso assegurar para a imprensa que, na hora em que tivermos as 171 assinaturas, ela será deferida”, argumentou Guimarães.

Ontem, durante coletiva, Maia destacou ser necessário analisar o mérito do pedido da oposição. “CPI tem de ter fato determinado, e acredito que esse é um tema que precisará de uma grande investigação. De fato, os erros do governo na área de saúde são cada vez maiores”, frisou. Segundo o democrata, o fato de a Casa estar em recesso parlamentar, a princípio, não seria impedimento para criação da comissão.

Lira critica

Candidato apoiado pelo governo na disputa pela Presidência da Câmara, o deputado Arthur Lira (PP-AL) criticou o que ele chamou de “politização da vacina e das medidas contra a covid-19”. O parlamentar alagoano se disse contrário ao pedido da CPI, mas afirmou que, se houver os “pré-requisitos” necessários, colocará o assunto em discussão, caso vença a disputa.

“Qualquer CPI que seja preconizada, que tenha os pré-requisitos básicos, vai para discussão, mas esse assunto não pode ser motivo de embates políticos para trazermos para a discussão traumas de interrupções bruscas democráticas. Isso não defendemos”, enfatizou.

Carregar Mais Publicações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ERROR: si-captcha.php plugin: GD image support not detected in PHP!

Contact your web host and ask them to enable GD image support for PHP.

ERROR: si-captcha.php plugin: imagepng function not detected in PHP!

Contact your web host and ask them to enable imagepng for PHP.

Veja também

Médicos veem flexibilização precoce da quarentena em SP

Eles temem por um novo colapso da rede hospitalar e apontam o risco de um “ciclo sem…