Dentre as ações estão a remobilização de leitos, testagem ampliada e apelo a vacinação contra a covid-19. DF tem mais de 80% da população acima de 12 anos vacinada contra a doença

(crédito: Agência Brasília )

A taxa de transmissão da covid-19 e o número de casos tem aumentado no Distrito Federal, mas a alta taxa de contaminações não está espelhada no cenário de internações. Além disso, os números relacionados à influenza também se mostram em crescente. Na semana passada, houve aumento de 120% nos casos, passando de 5 mil para 11.049.

Com isso, o Governo do Distrito Federal (GDF) anunciou, nesta quarta-feira (12/1), que será realizada a remobilização de leitos, além de medidas de impacto rápido, como a oxigenoterapia domiciliar, leitos bloqueados e potencialização dos recursos da Rede de Atenção à Saúde. Tudo isso na tentativa de evitar a sobrecarga na atenção primária e nas emergências da rede pública.

Na última atualização da Secretaria de Saúde (SES-DF), às 8h25 desta quinta-feira (13/1), 71,88% dos leitos públicos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) com foco no tratamento de covid-19 estavam ocupados.

O secretário de Saúde do DF, Manoel Pafiadache, pontuou que não há a necessidade de adoção de medidas para a ampliação do número de leitos, tendo em vista que a alta de casos gerou a procura por atendimento, mas as internações seguem controladas.

Outra ação visada pelo GDF é a de testagem ampliada de pessoas sintomáticas e daqueles que tiveram contato com pessoas que testaram positivo para o coronavírus. A intenção é diminuir a circulação dos infectados e realizar o monitoramento do comportamento pandêmico da nova variante.

Ainda de acordo com o secretário de Saúde, a rede pública será abastecida com testes para atender à população.

Vacinação

O GDF também tem como objetivo realizar apelo pela vacinação. Mesmo após ter atingido 85,81% da população acima dos 12 anos vacinada com as duas doses, o DF ainda conta com cerca de 200 mil pessoas não imunizadas contra a covid-19. Em 90% dos casos de internação por conta da doença, os pacientes são pessoas que não foram vacinadas ou não completaram o ciclo vacinal.

Com o intuito de atingir o público não vacinado, o governo tem feito a busca ativa, como a instalação de um posto de vacinação na Rodoviária do Plano Piloto e a imunização itinerante. A medida mais recente é a ampliação da vacina, que neste domingo (16/1) chega às crianças de 5 a 11 anos.

Escreva um comentário