Na avaliação do deputado federal Bacelar (Podemos/BA), a situação envergonha o Brasil, país que sempre foi reconhecido mundialmente pelo calendário de imunização contra doenças infecciosaO atraso na distribuição da segunda dose da CoronaVac, pelo Ministério da Saúde, tem causado indignação na população brasileira. Em Salvador, a prefeitura já anunciou que só garante a aplicação do reforço até esta quinta-feira (29) e está restrito aos agendamentos on-line. A capital baiana não recebe novas remessas há 15 dias, o que explica a escassez. Os municípios de Ilhéus e Vitória da Conquista também suspenderam a vacinação.

Na avaliação do deputado federal Bacelar (Podemos/BA), a situação envergonha o Brasil, país que sempre foi reconhecido mundialmente pelo calendário de imunização contra doenças infecciosas. Bacelar elevou o tom em suas redes sociais ao afirmar que as atitudes impensadas comprovam, mais uma vez, falta de planejamento e estratégia do governo federal, que não evitarou o pior cenário. Para ele, querem “a todo custo” aumentar o número de vacinados, sem pensar nas consequências.

O parlamentar, de 63 anos, recebeu a primeira dose da CoronaVac no dia 03 de abril. O reforço estava marcado para o próximo domingo, 02 de maio, mas ainda não tem previsão de quando isso vai acontecer. Mais de 36 mil soteropolitantos passam pela mesma situação. “Estão todos frustrados. A ansiedade da população em receber a segunda dose é grande. O governo não pode brincar com a saúde do brasileiro” criticou .

Em 21 de março, o Ministério da Saúde mudou a orientação e autorizou que todas as vacinas armazenadas pelos estados e municípios para garantir a segunda dose fossem utilizadas imediatamente como primeira dose. A pasta esclareceu que não haveria desabastecimento.

“O próprio ministro da Saúde tem reconhecido a dificuldade em enviar as remessas do imunizante para os estados. Faltam insumos para o Butantan produzir o imunizante, há atrasos nas licitações. Querem aumentar os números de pessoas vacinadas custe o que custar, mas esquecem que, para garantir a eficácia contra o coronavírus, é preciso garantir as duas doses. Uma só não adianta. Apenas 15% da população brasileira tem o cartão de vacina completo. Um absurdo extremo” completou.

Bacelar reforça ainda a importância de investigar a gestão do governo no combate ao coronavírus. Para ele, a CPI da Covid é essencial e de extrema urgência. “Temos que saber e investigar todas as mazelas que Bolsonaro tem feito durante a pandemia. É erro atrás de erro. E a população que paga o preço alto. Com a própria vida. Já estamos batendo a marca dos 400 mil mortos. Não podemos perder mais gente para esta doença” defendeu.

Escreva um comentário