A previsão é de que na terça-feira inicie a vacinação de pessoas com Síndrome de Down, pacientes em terapia renal substitutiva, gestantes e puérperas com comorbidades, e pessoas com deficiência — todas com idades entre 18 e 59 anos

(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press )

No primeiro dia de cadastro do grupo prioritário com comorbidade, estimado em 513 mil (considerados aqueles com menos de 60 anos), a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) recebeu 65.315 registros de autodeclaração por doença crônica. A maior procura foi de pessoas com hipertensão arterial, representando 29,5% dos acessos contabilizados pela pasta. Quase 15 mil pacientes com diabetes mellitus já fizeram o cadastro para garantir o agendamento para receber as doses da vacina contra a covid-19. A previsão é de que na terça-feira inicie a vacinação de pessoas com Síndrome de Down, pacientes em terapia renal substitutiva, gestantes e puérperas com comorbidades, e pessoas com deficiência — todas com idades entre 18 e 59 anos. O cadastro de pessoas com comorbidade deve ser feito no site
vacina.saude.df.gov.br. A imunização dos grupos já contemplados para receber as doses seguem normalmente nos pontos distribuídos pelo DF.

De acordo com a SES-SF, o agendamento para receber a vacina na primeira fase da imunização do público com comorbidade começa amanhã pelo site da secretaria (veja Etapas da vacinação). Segundo a pasta, a imunização desse grupo irá ocorrer de acordo com a disponibilidade de novas doses da vacina ao Distrito Federal. Há a expectativa da chegada de uma remessa do imunizante da Pfizer/BioNTech, além de mais doses da AstraZeneca. Neste sábado (1°/5), a capital recebeu 9,8 mil doses da CoronaVac, que estão reservadas para a aplicação da segunda dose.

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto alerta para a importância do cadastro pela população com comorbidade. De acordo com ele, essa etapa é essencial para dimensionar o quantitativo de imunizantes a serem disponibilizados para o grupo de risco. Quem tiver alguma dificuldade em se cadastrar pelo site da pasta, pode procurar uma unidade básica de saúde (UBS), onde um agente comunitário auxiliará no cadastro. As pessoas que têm o laudo cadastrado no Sistema Único de Saúde (SUS) já terão a validação no sistema da Secretaria de Saúde. Nos casos em que esse documento não estiver no sistema do SUS, será necessário a apresentação do laudo médico quando for receber a primeira dose.

Com o início da vacinação das pessoas com comorbidades, a pasta esclarece que não há previsão para incluir novos grupos nas etapas de imunização em andamento. De acordo com a secretaria, a ampliação de novas faixas etárias e categorias previstas na lista de prioridade definida pelo Ministério da Saúde depende da chegada de novas doses. Havia uma expectativa de os professores serem contemplados juntos com as pessoas com comorbidades, mas até o momento essa previsão não foi confirmada pela pasta. Os rodoviários também estão pleiteando o direito de receber a vacina nesta próxima etapa, porém o diálogo de representantes da categoria com o governo não avançou em relação a uma data para imunizar este grupo.

Para a infectologista Ana Helena Germóglio, a inclusão das pessoas com comorbidade para receber a vacina faz parte da estratégia de imunização adotada pelo governo local. “Existem duas frentes que podem ser trabalhadas quando se trata de campanhas de vacinação, a de vacinar os mais jovens que circulam mais e tem mais riscos de propagar a doença e de vacinar as pessoas que morrem mais. Esta segunda foi a estratégia adotada pelos governos. Não dá para ficar mudando os grupos prioritários, pois isso causa uma confusão”, explica a especialista. “Todo mundo tem um bom motivo para ser prioridade na vacinação, mas não temos vacina suficiente para todos”, pontua. De acordo com a infectologista, neste momento é preciso ter uma comunicação clara com campanhas de vacinação para que o público entenda e não se desespere com aglomerações nos pontos de vacinação.

Importância

Ontem, o aposentado Joarez Paz Landim, 65 anos, levou a esposa Ione Aparecida Marçal, 60, para receber a primeira dose do imunizante. Ele destacou a importância da vacina para conter a pandemia do novo coronavírus. “A vacina é a única coisa concreta que pode conter a covid-19. Espero que todos os brasileiros possam receber a dose. É triste ver a quantidade de pessoas que morrem por essa doença diariamente”, afirma Joarez, que perdeu vários amigos próximos pelo vírus. “Inclusive meu padrinho de casamento morreu pela covid-19. É uma doença muito triste, não tenho nem como mensurar. Se não fosse o Butantan e o SUS poderíamos estar ainda pior”, relata o aposentado.

» Etapas da vacinação

» 4 a 6 de maio: pessoas com síndrome de Down, pacientes em terapia renal substitutiva, gestantes e puérperas com
comorbidades e pessoas com deficiência
» 7 a 8 de maio: pessoas com comorbidades com 59 anos
» 10 e 11 de maio: pessoas com comorbidades com 58 anos
» 12 e 13 de maio: pessoas com comorbidades com 57 anos
» 14 e 15 de maio: pessoas com comorbidades com 56 anos
» 17 e 18 de maio: pessoas com comorbidades com 55 anos

9,8 mil
Doses da CoronaVac para a aplicação da segunda dose chegaram ontem ao DF

» Números do primeiro dia de cadastro

Hipertensão arterial
19.269

Diabetes mellitus
14.918

Imunossuprimidos
6.270

Obesidade mórbida
4.724

Pneumonias crônicas graves
4.140

Gravidez sem comorbidade
2.370

Cardiopatia hipertensiva
1.956

Arritmia cardíacas
1.859

Doença renal crônica
1.619

Puérperas
972

Doença cerebrovascular
963

Pessoas com deficiência
959

Cardiopatias congênita noadulto
714

Gravidez com comorbidade
645

Síndrome de Down
619

Anemia falciforme
542

Insuficiência cardíaca
477

Próteses valvares e dispositivos cardíacos
415

Valvopatias
399

Miocardiopatias e pericardiopatias
347

Cor pulmonale e hipertensão pulmonar
336

Síndromes coronarianas
331

Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas
267

Cirrose hepática
204

251,4 mil já receberam as duas doses

 (crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press                      )
crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press.

Desde o início da vacinação contra a covid-19, o Distrito Federal aplicou 706.311 doses de dois imunizantes disponibilizados pelo Ministério da Saúde: a CoronaVac e a AstraZeneca. Desse total, 251,4 mil pessoas já receberam as duas doses da vacina e estão imunes da forma mais grave da doença. Ontem, cerca de 7,2 pessoas foram imunizadas nos pontos de vacinação por drive-thru.
No posto da Torre de TV, coordenado pelo Sesc em parceria com a Secretaria de Saúde, a professora Maria Elisabete Pinheiro, 61, aproveitou a tarde de ontem para tomar a primeira dose da vacina. Acompanhada do marido, Clemeson Silva, 63, e da cachorrinha da família, Marina, ela comemorou. “A vacina é o resgate da dignidade da população brasileira. É um cuidado consigo e com o próximo para lidar com essa doença”, relata a docente. “É um reconhecimento da importância da ciência que possibilitou a vacina. Honrar esses profissionais também. Espero que, logo logo, a vacina chegue para toda a população”, destacou Clemeson. O casal foi saudado por um grupo de artistas do Sesc que animou o clima dos profissionais da saúde e de quem recebia o imunizante.

Casos e mortes

Em 24 horas, o DF contabilizou 28 mortes pelo novo coronavírus. Deste quantitativo, 14 pessoas morreram ontem, segundo informações divulgadas pela Secretaria de Saúde. Duas vítimas residiam em regiões do Entorno, uma no Novo Gama e outra em Formosa. Com as notificações, a capital chega a 7.826 óbitos causados por complicações da doença, sendo que 649 eram residentes de outras unidades da Federação.
A maior parte dos pacientes tinha alguma comorbidade, como distúrbios metabólicos, problemas no coração e obesidade. As vítimas tinham 30 anos ou mais, sendo que a faixa etária com mais mortes foi a de 60 a 69 anos.
A Secretaria de Saúde registrou 969 novos casos da covid-19 no DF. Desde o início da pandemia, foram infectadas 379.752 pessoas. A maioria (363.066) se encontra recuperada da infecção.

Escreva um comentário