A novela do caos no transporte público do DF parece estar longe do fim. Na manhã desta segunda-feira (18), os passageiros de Planaltina precisaram descer para empurrar um ônibus que quebrou no meio do trajeto.

O coletivo pertence a empresa Grande Brasília, que assumiu algumas linhas de ônibus da região, após a falência da empresa Coopatram. O contrato com a empresa foi feito de forma emergencial.

O passageiro Sérgio Alexandre, de 32 anos estava no ônibus do vídeo, e resolveu filmar a cena. “Isso ocorreu pela manhã, o ônibus quebrou e os passageiros tiveram que descer para empurrar. O segundo ônibus que eu peguei também quebrou, desta vez na BR 020, e tivemos que esperar até que outro motorista parasse para continuarmos a viagem”, afirma.

Estudantes enfrentam problemas

Os problemas enfrentados pelo usuários do transporte público em Planaltina não se restringem a ônibus quebrados. Os estudantes reclamam que algumas empresas que assumiram recentemente algumas linhas na região estão “pirateando as linhas”.

Os coletivos exibem uma linha no itinerário luminoso que fica a frente do veículo, mas ao entrar no veículo, a linha que está cadastrada na catraca é diferente da apresentada no itinerário. Como o passe livre dá direito a gratuidade em apenas 6 linhas, muitas vezes os estudantes são obrigados a descerem do ônibus.

Por exemplo, no itinerário do ônibus está cadastrada a linha 600. Mas ao entrar no veículo a linha que está cadastrada na catraca é 616.2. Se a linha 616.2 não estiver cadastrada no cartão, o estudante não consegue liberar a roleta.

Esse é o caso do estudante Ruan Carlos, de 19 anos, que enfrenta o problema diariamente para ir até a faculdade na Asa Sul. “Todos os dias eu pego um ônibus em que a linha cadastrada na roleta não é a mesma apresentada no itinerário. Eu vou até pegar um fomulário no DFTrans e tentar cadastrar outras linhas, se não eu vou ter que pagar a passagem todos os dias”, afirma.

A licitação que promete renovar 90% da frota de ônibus do DF está em andamento, e a empresa que vai atende a bacia que inclui a região de Planaltina ainda não foi definida. A licitação prevê a divisão do DF em bácias, para acabar com o monopólio do transporte público.

Em nota ao Alô Brasília, o Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) orienta a população a relatar os problemas enfrentados no transporte público pelo telefone 156, opção 4. O DFTrans informou ainda que as empresas que descumprirem as regras do passe livre serão punidas. O órgão informou que se identificada a linha, a empresa citada na reportagem será punida.

Veja a nota na integra a nota enviada pelo DFTrans:

Os usuários devem registrar a reclamação na Ouvidoria do DFTrans, pelo 156, opção 4. Devem detalhar, ao máximo, a queixa: número da linha, do ônibus, nome da empresa. A Gerência de Fiscalização será acionada. E, caso as irregularidades sejam constatadas, a empresa será punida.

As vistorias acontecem frequentemente. O DFTrans opera em duas frentes: vistorias/inspeções veiculares periódica obrigatória e diária sem aviso. Na primeira frente, os veículos devem se apresentar para uma inspeção rigorosa que verifica diversos itens, vinculados à estrutura, mecânica, elétrica, segurança, etc. Na segunda, realizada em campo, não é possível verificar todos os itens relacionados na primeira frente. Mas, por outro lado, é possível fazer um retrato da real situação da operação. Detectado algum problema, o veículo é retirado de circulação até que o defeito seja sanado. Caso isso aconteça na segunda frente, a operadora também é multada.

Escreva um comentário