Polícia Civil investiga participação de funcionários do estabelecimento de registros em Samambaia. Agentes também cumpriram oito mandados de busca e apreensão e de sequestro de veículos.

Polícia Civil do DF prende oito pessoas suspeitas de participar de esquema de fraude documental. — Foto: PCDF/Divulgação

A Polícia Civil prendeu, nesta terça-feira (21), oito suspeitos de participar de um grupo criminoso que falsificava documentos para aplicar golpes com a venda de imóveis no Distrito Federal.

A operação, batizada de “Non Domino”, também cumpriu oito mandados de busca e apreensão e dois mandados de sequestro de veículos.

De acordo com a investigação, o grupo dava preferência para venda de lotes ainda sem construção e falsificavam os documentos dos proprietários. Além disso, os criminosos forjavam procurações públicas e transferiam os poderes sobre os terrenos para comparsas e laranjas, que se apresentavam às vítimas como legítimos proprietários dos bens.

Segundo o delegado da 1ª Delegacia de Polícia, Marcelo Portela, o grupo contava com a participação ativa de funcionários do Cartório do 7º Ofício de Notas de Samambaia, que faziam a escrituração e o registro dos bens, repartindo entre si os lucros obtidos com as fraudes. “A compra e venda realizava-se sob uma conjuntura, aparentemente perfeita, legal e instrumentalmente hábil, para iludir qualquer pessoa, mediante documentos dotados de fé pública”, disse o delegado.

As oito pessoas presas pela operação, realizada nesta terça-feira, vão responder pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica e falsidade documental pública e privada.

Escreva um comentário