A 8ª Vara Cível de Brasília condenou um hospital particular a pagar R$ 30 mil por sequelas causadas a uma paciente após cirurgia para a retirada de um nódulo na tireóide. Cabe recurso à decisão.

De acordo com a paciente, o suposto erro do médico levou à paralisia das cordas vocais. A mulher precisou fazer traqueostomia. Já o profissional diz não ter agido com imprudência, imperícia ou negligência, e o hospital alegou que os lesões não têm a ver com a cirurgia.

Para a juíza que analisou o caso, não houve erro da parte do médico, mas há relação entre o dano sofrido pela mulher e a operação. “Não há dúvida que passar a viver com uma traqueostomia na garganta, conforme as fotografias gritam, é fato que configura o dano moral, não se necessitando dizer muito sobre o notório constrangimento que a mutilação causada pela cirurgia causa.”

(foto:ilustrativa)