Argentina detecta duas variantes brasileiras do coronavírus

O governo argentino afirmou que as duas variantes foram levadas por viajantes do Brasil, uma cepa do Rio de Janeiro e outra de Manaus

Vacinação na Argentina: “Essas descobertas reforçam a importância da implementação de uma vigilância epidemiológica genômica”, disse o ministro da Saúde argentino (Agustin Marcarian/Reuters)

A Argentina descobriu em seu território a circulação de duas variantes do coronavírus levadas por viajantes do Brasil, uma do Rio de Janeiro e outra de Manaus. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Ginés González García, em suas redes sociais nesta segunda-feira, 8

“Recentemente foi detectada a variante do Amazonas P.1 em duas amostras, e a variante do Rio de Janeiro P.2 em outros dois viajantes. Todos eles procedentes do Brasil”, escreveu o ministro.

A detecção científica das variantes foi realizada pelos laboratórios do instituto estatal Carlos Malbrán, que centraliza as análises epidemiológicas. “Essas descobertas reforçam a importância da implementação de uma vigilância epidemiológica genômica ativa para monitorar a introdução dessas variantes”, disse González García.

O ministro da Saúde da província de Buenos Aires, Daniel Gollán, disse que “são poucos casos e foram isolados”, segundo declarações à rádio Futurock.

Além das variantes brasileiras, as cepas do Reino Unido também foram encontradas na Argentina.

A Argentina começou a vacinar sua população em dezembro com a vacina russa Sputnik V, do instituto Gamaleya. Agora, corre para ter mais doses das vacinas de modo a acelerar a imunização.

O país vacinou mais de 511.000 pessoas, cerca de 1,14 dose a cada 100 habitantes, segundo contagem da Bloomberg com base em dados oficiais. Embora tenha começado a vacinar um mês depois dos argentinos, o Brasil superou no fim de semana o número de 3 milhões de doses aplicadas, com cerca de 1,7 dose a cada 100 habitantes, segundo o consórcio de imprensa — ainda aquém do esperado.

A expectativa é que haja um aumento da velocidade da vacinação em todo o mundo em meio à luta contra as novas variantes. Embora a tendência seja de que as vacinas atuais sejam menos eficazes contra as variantes, os dados até agora mostram que os imunizantes devem evitar casos graves.

A Argentina registra quase 2 milhões de casos de covid-19, com mais de 49.000 mortes, em um país de 45 milhões de habitantes. O Brasil tem mais de 9,5 milhões de casos até esta segunda-feira, e mais de 231.000 mortes.

 

Carregar Mais Publicações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ERROR: si-captcha.php plugin: GD image support not detected in PHP!

Contact your web host and ask them to enable GD image support for PHP.

ERROR: si-captcha.php plugin: imagepng function not detected in PHP!

Contact your web host and ask them to enable imagepng for PHP.

Veja também

Com vacinação mais lenta, abril projeta mais de 80 mil mortes por covid

Variantes mais agressivas e aumento das mortes entre os mais jovens mostram que distanciam…