Depois de cerca de 15 horas fechada por conta de um protesto organizado por caminhoneiros, a rodovia Castello Branco foi liberada na noite desta segunda-feira. Segundo a concessionária que administra a via, a pista foi bloqueada por volta das 6h e liberada somente às 20h20. A Força Tática da Polícia Militar foi chamada para desobstruir a rodovia. A Polícia Militar não informou se houve confronto.

De acordo com a administradora da pista, os caminhoneiros fecharam a via, que ficou com apenas uma faixa liberada durante o bloqueio, na altura do quilômetro 30. O trânsito ficou congestionado do quilômetro 13 ao 16, no sentido interior e do 24 ao 30 no sentido capital.

 Segundo a empresa, logo após a desobstrução da Castello, um grupo de pessoas interditou o trânsito na rodovia Raposo Tavares, na altura do quilômetro 100, na cidade de Sorocaba. A pista também é administrada pela mesma empresa. O trânsito foi liberado na via por volta das 22h e o trânsito já está normalizado.

Na rodovia Professor Zeferino Vaz (SP-332), que liga Campinas a Mogi Guaçu, por mais de 14 horas manifestantes fizeram um protesto na praça de pedágio do quilômetro 135. As duas pistas da via ficaram interditadas até as 19h40, quando, depois de cerca de 14 horas, a pista foi liberada, após ação da Tropa de Choque da Polícia Militar. Esse é o segundo protesto organizado pelo grupo no local.

 Segundo a concessionária que administra a via, manifestantes tentaram incendiar uma das cabines e atearam fogo a cones e placas de sinalização. O grupo não conseguiu incendiar o local, porque foi contido pela Polícia Militar.

 Um grupo de representantes dos manifestantes foi recebido na sede da concessionária. As demandas serão repassadas pela empresa à Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

A rodovia Anhanguera, que liga a capital paulista ao interior do Estado, também foi interditada nesta segunda-feira, em dois pontos, por conta de protestos. De acordo com a concessionária da via, a pista sentido interior foi interditada na altura do quilômetro 58, em Jundiaí, às 20h15 e só foi liberada às 21h55. De acordo com a empresa, não houve registro de confronto no local.

 Também na rodovia Anchieta, no quilômetro 125, uma manifestação na cidade de Americana bloqueou o trânsito na pista, no sentido interior. Segundo a administradora da via, manifestantes chegaram a atear fogo em pneus e a Tropa de Choque da Polícia Militar foi chamada para desobstruir a pista. A Polícia Militar não informou se a força agiu no local e se houve confronto.

 Na via Anchieta, caminhoneiros interditaram duas faixas da pista sentido litoral, na altura do quilômetro 23 e reclamavam da postura do governo paulista em cobrar pedágios de caminhões por eixos, inclusive os que estiverem suspensos. A via foi desobstruída por volta das 20h. A polícia não informou se houve confronto.

A rodovia Anhanguera, que liga a capital paulista ao interior do Estado, também foi interditada nesta segunda-feira, em dois pontos, por conta de protestos. De acordo com a concessionária da via, a pista sentido interior foi interditada na altura do quilômetro 58, em Jundiaí, às 20h15 e só foi liberada às 21h55. De acordo com a empresa, não houve registro de confronto no local.

 Também na rodovia Anchieta, no quilômetro 125, uma manifestação na cidade de Americana bloqueou o trânsito na pista, no sentido interior. Segundo a administradora da via, manifestantes chegaram a atear fogo em pneus e a Tropa de Choque da Polícia Militar foi chamada para desobstruir a pista. A Polícia Militar não informou se a força agiu no local e se houve confronto.

 Na via Anchieta, caminhoneiros interditaram duas faixas da pista sentido litoral, na altura do quilômetro 23 e reclamavam da postura do governo paulista em cobrar pedágios de caminhões por eixos, inclusive os que estiverem suspensos. A via foi desobstruída por volta das 20h. A polícia não informou se houve confronto.