Polícia Federal apura irregularidades em contratos da secretaria de Saúde que tramitavam no Tribunal. Processos correm sob sigilo

PF fez buscas no gabinete da corregedora do TCDF – (crédito: Ed Alves/CB/DA Press)

Um personagem que foi alvo de denúncia da Operação Falso Negativo no ano passado, que culminou com a prisão da cúpula da saúde, após fraudes na compra de testes para diagnóstico de covid-19, também está entre os suspeitos de participar do esquema de corrupção no Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF).

O inquérito relacionado à Operação Pacare, deflagrada hoje (26/05), tramita sob sigilo no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Por isso, a identidade do envolvido nas duas operações não foi revelada.

Depois de uma solicitação da Procuradoria-Geral da República (PRG), o ministro João Otávio de Noronha, do STJ, autorizou a realização de nove mandados de busca e apreensão pela Polícia Federal contra sete investigados.

Um dos alvos é a ex-presidente do TCDF Anilcéia Machado, queteve o sigilo bancário e fiscal quebrado. Os agentes estiveram no gabinete da conselheira, que é corregedora do TCDF, onde recolheram arquivos de seu computador. Os policiais também fizeram busca na casa dela, no Lago Norte.

A apuração mira em crimes cometidos entre 2013 e 2015, e também em 2020. A Operação Pacare, uma alusão a “pagar” em latim, investiga a prática de crimes como peculato, corrupção, prevaricação, advocacia administrativa e falsidade ideológica.

Procurada, a Secretaria de Saúde informou que “está à disposição para colaborar com as autoridades policiais prestando as informações que forem solicitadas”. O TCDF aguarda acesso ao conteúdo das investigações para se pronunciar.

Escreva um comentário