• sexta-feira , 21 setembro 2018

Usuários se queixam de conexão em árvore digital inaugurada hoje

Nesta terça (27), após atingir o número de conexões permitidas, muitos não conseguiram acessar Wi-fi gratuito

 

JP RODRIGUES/ESPECIAL PARA O METRÓPOLES

Taguatinga ganhou a primeira árvore digital do DF. Nesta terça-feira (27/3), o equipamento de 4 metros de altura passou a funcionar, em fase de teste, na Praça do Relógio e atraiu muitos interessados. Mas alguns tiveram dificuldades para se conectar.

O serviço foi testado  conseguiu se conectar à rede em aproximadamente 10 minutos. Após atingir o número de conexões permitidas, outros usuários reclamaram que não tiveram acesso à internet.

É o caso do bancário José Mathias Lopes, 45 anos, que passou no local para pegar o metrô e resolveu testar o serviço. “Comigo não deu certo. Estou tentando a uns 15 minutos e nada. Complicado né? Primeiro dia e o serviço já deixou a desejar”, comentou.

A estudante Mariana Souza, 16, também ficou frustrada. “Eu também não consegui. Mostra a mensagem de conectando e depois dá erro de autenticação”, disse. Alunos do Centro de Ensino Médio Escola Industrial de Taguatinga (Cemeit) estiveram no local para testar o Wi-fi.  “Demorou um pouquinho para conectar, mas depois conseguimos. Acho uma ótima iniciativa. Hoje, todo mundo depende da internet para tudo”, disse Vitória Moreira, 16.

O secretário adjunto de Ciência, Tecnologia e Inovação, responsável pelo projeto, Thiago Jarjour, disse que o sistema apontou problemas em sua inauguração porque ainda requer alguns ajustes. “Temos um sinal para um raio de 200 metros e a conexão é para no máximo 500 pessoas. Já alcançamos esse marco e agora estudaremos restringir mais um pouco o raio para ele abranger apenas a Praça”, ressaltou.

O terminal digital terá capacidade para fornecer internet de alta velocidade para até 500 aparelhos simultâneos, num raio de aproximadamente 200 metros, com conexão de 480 megas.

Segundo Jarjour, o projeto terá custo zero para o GDF.  “O mais importante é que a empresa instaladora fará a manutenção desse serviço, que é uma coisa mais difícil para o Estado. Em contrapartida, eles têm o direito de explorar comercialmente a publicidade da rede de Wi-fi. Neste primeiro momento, ele não vem para substituir os pontos do Sinal Livre que é o antigo programa que está sem manutenção desde 2015”. A próxima árvore será inaugurada no sábado (31), no Parque da Cidade.

Fonte: Metrópoles

Veja Também