• segunda-feira , 18 fevereiro 2019

Tinder: história, dicas e principais recursos do app de encontros

Gostou? Deslize para a direita. Não gostou? Deslize para a esquerda. Tudo o que você precisa saber sobre o Tinder.

Desenvolvido inicialmente por uma empresa chamada Hatch Labs, o Tinder foi lançado em 2012 com o objetivo de facilitar a aproximação entre pessoas interessadas em encontros. A ideia de Sean Rad, um dos criadores do serviço, era de que é muito mais fácil falar com alguém sabendo que a pessoa também tem interesse em você.

Assim, o Tinder foi desenvolvido com o conceito de fazer com que os dois lados se mostrem interessados antes de iniciar a conversa. Ao acessar o serviço, o usuário encontra uma espécie de “cardápio de pessoas”, com fotos e um perfil com informações gerais (idade, interesses, uma descrição, entre outras coisas). Tudo isso é feito a partir de geolocalização – ou seja, o app apresenta informações com base em onde a pessoa está.

Caso se sinta atraído por alguém, é só deslizar o card da pessoa para a direita. Se não quiser papo, é só mandar para a esquerda. Quando os dois lados se mostram interessados, o aplicativo gera um “match” e, a partir daí, qualquer um pode começar a conversa com o outro.

Com esse conceito simples, mas extremamente funcional, o Tinder cresceu rapidamente e em 2014 já registrava 1 bilhão de “deslizadas” por dia – quantas vezes usuários mandaram cards para a direita ou esquerda. O serviço chegou ao Brasil em 2013.

Criando uma conta no Tinder

Reprodução

Existem duas maneiras de criar uma conta no Tinder. Uma delas é através do Facebook Login, que vai pegar dados relativos ao seu perfil da rede social para criar um usuário para o app de encontros. A outra forma usa o número do seu celular.

Por mais vantajoso que o uso do número do celular possa parecer – principalmente após os diversos escândalos de privacidade de 2018, muita gente prefere se manter distante do Facebook atualmente -, há uma limitação bem grande para quem prefere usar o telefone para cadastro: com ele, só dá para usar o app no celular, e não no computador.

Em resumo, quem se cadastrar com o Facebook pode acessar pelo celular e depois continuar usando no computador, enquanto quem escolhe o número de telefone só consegue acessar o Tinder pelo celular.

Abaixo ensinamos como fazer para entrar no Tinder tanto pelo celular quanto pelo desktop:

Pelo celular

  • Baixe o aplicativo do Tinder. O download pode ser feito aqui para Android e aqui para iOS.
  • Abra o app. Ele vai pedir para você se cadastrar, caso não tenha uma conta. Selecione se prefere usar dados do Facebook ou o número do seu celular.
  • Conclua os passos que surgem na tela e pronto; é só começar a usar.

Pelo computador

  • Entre no site do Tinder para web.
  • Entre com suas credenciais do Facebook. Não é possível usar número de telefone no computador.
  • Siga as instruções da tela e comece a usar.

A interface do PC é praticamente idêntica à dos celulares, então quem já conhece o app não deve ter dificuldade.

Principais recursos do Tinder

Matches

Quando duas pessoas indicam interesse mútuo, o Tinder dá “match” e abre espaço para que alguém inicie uma conversa. A lista de “matches” pode ser acessada a qualquer momento, assim como um histórico das mensagens trocadas. É possível desfazer “matches” a partir do menu no canto superior direito da tela – a pessoa vai sumir da sua lista de matches e não poderá mais conversar com você.

Mensagens

Quando duas pessoas demonstram interesse mútuo, elas podem iniciar uma conversa entre si. Não é possível conversar com qualquer um – só com quem deu match. O Tinder permite tanto mensagens em texto quanto áudio, GIFs e mais. Não é possível apagar mensagens individuais e a única forma de apagar o histórico de conversas é desfazendo o match com a pessoa.

Tinder Plus e Gold: as ferramentas pagas

Quem quiser gastar uma grana pode aumentar as chances de se dar bem no Tinder. O serviço oferece dois modelos de assinatura com diferentes funcionalidades e valores que dependem de fatores como gênero, região, idade, orientação e plataforma usada.

O Tinder Plus seria uma assinatura “básica”, oferecendo a possibilidade de dar quantos swipes o usuário quiser em um dia, voltar atrás caso dê um swipe errado, cinco Super Likes por dia (a pessoa é avisada da sua curtida mesmo que não tenha curtido seu perfil), 1 turbinada por mês para aparecer no topo da lista de pessoas da sua região; e também um modo Passaporte que permite mudar sua região para conversar com pessoas de outras partes do mundo.

O Tinder Gold oferece os mesmos recursos e também a possibilidade de ver quem curtiu seu perfil – ou seja, uma vantagem na hora de escolher com quem você vai conversar pelo app.

Fonte: Olhar Digital

Veja Também