• domingo , 27 Maio 2018

Teatro Nacional de Brasília recebe mostra de orquídeas até domingo; veja fotos

Prazo acabaria na próxima terça, mas vai ficar para 21 de março. Foi necessário fazer ajuste para esclarecer termos de concessão, diz subsecretário.

Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (Foto: G1 )

O governo do Distrito Federal decidiu adiar a licitação do Centro de Convenções, informou nesta sexta-feira (2) o subsecretário de Parcerias Público-Privadas, da Secretaria de Fazenda, Rossini Dias. O prazo acabaria na próxima terça-feira (6), mas vai ficar para 21 de março.

Empresas interessadas na concessão questionaram uma lista de eventos agendados para ocorrer no local. Alguns desses eventos já tinham pagado a taxa de uso do Centro de Convenções, o que geraria falsa impressão de arrecadação para as empresas. Por isso, foi feita uma nova lista com os futuros eventos, mas retirando aqueles que já pagaram o governo para usar o espaço.

“Aquela lista tinha sido publicada em dezembro e não foi atualizada. Como alguns já pagaram [a taxa], não é a receita real que a empresa vai ter. Por isso, a legislação diz que se há qualquer item que possa alterar a proposta ou gerar questionamento, o prazo terá de ser prorrogado para esclarecimentos”, afirmou Dias.

A taxa de uso do Centro de Convenções depende do tamanho do espaço a ser usado – pode ser só o auditório como o prédio todo. Na lista de eventos agendados, os preços vão de R$ 20 mil a R$ 380 mil.

Com a concessão por 25 anos do estádio, o governo do DF pretende receber R$ 2,6 milhões como outorga – sem contar o lance inicial de R$ 3,8 milhões. Se a lucratividade ultrapassar as estimativas, o Buriti tem direito a 15% sobre esse lucro extra.

Para o subsecretário, a ideia, além de melhorar a arrecadação, é “fomentar a atividade econômica”. “Queremos que isso permita uma ocupação maior, a exemplo do que se tem em outros locais do país, e que acabe repercutindo na economia do segmento.”

Veja Também