• segunda-feira , 18 fevereiro 2019

Sindicato recusa proposta da GM sobre corte de 10% no piso salarial

Redução seria de R$ 1.780 para R$ 1.600, valendo apenas para novos contratados na fábrica de São Caetano do Sul

GM: Redução faz parte de uma série de pedidos feitos pela empresa (Jeff Kowalsky/Reuters)

São Paulo – A direção da GM no Brasil propôs um corte de 10% no piso salarial dos trabalhadores da fábrica de São Caetano do Sul, informou nesta segunda-feira, 28, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul, Aparecido Inácio da Silva, conhecido como “Cidão”. A redução seria de R$ 1.780 para R$ 1.600 e valeria apenas para os novos contratados.

A proposta foi feita na quinta-feira, 24, ao sindicato, que, por sua vez, a apresentou na manhã desta segunda-feira aos funcionários da fábrica. Cidão afirma que a redução do piso é “inegociável”, porque esta questão já foi discutida no ano passado com os executivos da empresa.

O valor que a GM pede em São Caetano é o mesmo proposto para os trabalhadores da fábrica de São José dos Campos. Lá, no entanto, o corte seria de 30%, pois o piso atual é de R$ 2.300.

A proposta de redução do piso está entre os 22 pedidos feitos pela GM à fábrica de São Caetano do Sul, seis a menos que para São José.

Veja Também