• segunda-feira , 18 fevereiro 2019

Simone Tebet do MDB confirma candidatura à presidência do Senado

Renan Calheiros, que enfrenta resistência a sua eventual candidatura, disse que não quer ser presidente da casa legislativa

(foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) confirmou oficialmente a candidatura dela à presidência do Senado. Ela é do mesmo partido de Renan Calheiros, que afirmou na tarde desta segunda-feira (21/1), que “não quer” assumir o comando da casa legislativa. A expectativa é de que a senadora faça o anúncio nas próximas horas.

O nome de Simone é visto como uma forma de agradar o MBD e o PSL. Renan enfrenta resistência tanto de senadores quanto de entidades da sociedade civil por figurar em 14 inquéritos que correm no Supremo Tribunal Federal (STF).
Em entrevista ao Correio, Renan Calheiros disse que não pode passar por cima da escolha dos colegas de partido. “Eu já fui quatro vezes (presidente). Você não pode ter a intenção de atropelar outros nomes da bancada. Eu não quero, mas vai decidir no final do mês”, disse.
No entanto, Renan defendeu que seja alguém experiente para o comando da casa. Major Olímpio está em sua primeira legislatura como senador. Simone Tebet vai iniciar seu segundo mandato pela casa. “É preciso ter maturidade e vivencia para interpretar bem a circunstância que vivemos. O MDB apoiará quem já foi indicado”, completou o parlamentar.

Desde que as eleições passaram, a senadora do Mato Grosso do Sul acompanhou uma onda de manifestações favoráveis em relação ao seu nome, que já aparecia como um dos favoritos entre senadores de diversos espectros políticos. Caso eleita, pode ser a primeira presidente mulher do Senado.
Para enfrentar candidatos de outros partidos, Simone precisa antes vencer uma disputa interna. Renan Calheiros, apesar de ter menos aceitação, é o nome mais forte da legenda. A decisão sobre quem será apoiado pelo MDB deve sair no próximo dia 29. “Coloco minha candidatura em defesa da independência, da autonomia, da soberania do Senado, que será a ponte de travessia para todas as saídas econômicas, sociais, regionais e políticas para o País. É preciso resgatar e fortalecer o papel constitucional do Senado Federal. Além disso, devemos absorver o recado das urnas, que clamou por renovação na política e, consequentemente, no Senado”, disse a parlamentar.
Governo Bolsonaro
Em entrevista ao Correio em novembro, a senadora Simone Tebet afirmou não ser oposição (ao governo), mas afirmou pretender fazer críticas construtivas à gestão que ainda se iniciaria. Ela, à época, disse defender a concentração de esforços em pautas econômicas e de segurança pública, mas não em pautas de costume. “As pautas de costumes não devem ser prioritárias no momento, e, sim, a econômica e a de segurança pública. Defendo que não gastemos tempo pulverizando esforços nelas”, declarou. Fonte: Correio Braziliense

Veja Também