• quarta-feira , 16 agosto 2017

Servidora do Ministério da Cultura é morta a facadas após ser roubada no DF

Vítima foi abordada por dois homens na porta de casa e morreu antes da chegada do Samu. Polícia procura suspeitos, que serão investigados por latrocínio.

Policiais fazem perícia em frente a prédio onde houve crime (Foto: TV Globo/Reprodução)

Policiais fazem perícia em frente a prédio onde houve crime (Foto: TV Globo/Reprodução)

Uma servidora do Ministério da Cultura de 55 anos foi morta a facadas na 408 Norte, no centro de Brasília, na noite de terça-feira (9). Ela tinha acabado de estacionar o carro em frente ao prédio em que morava, por volta de 23h30, quando foi abordada por dois assaltantes que levaram a bolsa e deram os golpes de faca.

O crime será investigado pela polícia como latrocínio – roubo seguido de morte. Os dois homens fugiram sem levar a chave do carro. Os vizinhos ouviram os gritos da mulher e chamaram a emergência. A vítima não resistiu aos ferimentos, e morreu no local antes da chegada da ambulância.

Maria Vanessa é de Minas Gerais e morava sozinha. Reprodução Facebook

Maria Vanessa é de Minas Gerais e morava sozinha. Reprodução Facebook

As imagens das câmeras de segurança dos prédios vizinhos vão ser usadas para identificar os suspeitos. No entanto, a Polícia Civil não divulgou as imagens para não atrapalhar as investigações.

A família da mulher mora em Minas Gerais. Ela vivia sozinha e trabalhava como analista de projetos culturais da lei Rouanet, no Ministério da Cultura, e também fazia mestrado em jornalismo na Universidade de Brasília, com uma tese sobre o universo das blogueiras de moda.

Antes do trabalho no ministério, passou por algumas emissoras de televisão aberta e por assinatura, e foi a idealizadora do sistema de informática de busca de imagens da Globosat.

Área onde crime ocorreu isolada por policiais (Foto: TV Globo/Reprodução)

Área onde crime ocorreu isolada por policiais (Foto: TV Globo/Reprodução)

Latrocínio no DF

Dados da Secretaria de Segurança Pública mostram queda nos índices de latrocínio no DF. No último mês de julho, foram registrados dois casos de latrocínio, contra seis casos no mesmo mês do ano passado. No acumulado, de janeiro a julho deste ano, foram 20 ocorrências. No mesmo período de 2016, foram 28 ocorrências.

Veja Também