• sábado , 23 junho 2018

Protesto por moradia interdita faixas do Eixo Monumental, em Brasília

‘Marcha das Cidades’ cobra retomada de investimentos no Minha Casa Minha Vida. Grupo ficará no DF até quinta-feira.

Marcha das Cidades passa em frente ao estádio Mané Garrincha, em Brasília (Foto: Brena Silva/G1)

Movimentos de sem-teto fecharam duas das seis faixas do Eixo Monumental, em Brasília, na manhã desta terça-feira (5), durante uma marcha em direção ao Ministério das Cidades.

Por volta das 10h, a “Marcha das Cidades” reunia cerca de 300 pessoas no sentido Congresso Nacional, segundo a Polícia Militar. Segundo a organização do protesto, foram 3 mil manifestantes.

Ao chegar ao ministério, o grupo montará acampamento para ficar até quinta-feira. No local, estão previstas aulas públicas sobre temas como mobilidade, cultura urbana e marco legal do saneamento.

Marcha das Cidades passa em frente ao estádio Mané Garrincha, em Brasília (Foto: Brena Silva/G1)

“É uma marcha pelo direito às cidades. É o direito à habitação, à saúde, ao transporte de qualidade, à educação, ao lazer, ao esporte e à cultura”, segundo o coordenador nacional da Central de Movimentos Populares, Raimundo Bonfim.

O grupo cobra do governo federal a retomada dos investimentos na faixa mais baixa de renda do programa Minha Casa Minha Vida; a realização da Conferência Nacional das Cidades neste ano; a revogação da PEC do teto de gastos; e a revogação das mudanças na legislação trabalhistas.

O protesto foi organizado pelas seguintes entidades: União Nacional por Moradia Popular (UNMP), Central dos Movimentos Populares (CMP), Confederação Nacional de Associações de Moradores (CONAM), Movimento de Luta de Bairros e Favelas (MLB), Movimento das Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos (MTD) e Movimento Nacional de Luta por Moradia (MNLM).

Veja Também