• domingo , 17 dezembro 2017

Projeção no Museu Nacional, em Brasília, exibe números da violência no país

Iniciativa é de policiais federais que participam de encontro sobre segurança pública. Números apontam ‘ineficiência do modelo policial brasileiro’, diz organizador do evento.

Projeção na cúpula do Museu da República cita número de mortes violentas em uma semana no país (Foto: Fenapef/Divulgação)

Uma projeção na cúpula do Museu Nacional da República, em Brasília, exibiu na noite desta terça-feira (21) os números da violência no país. A iniciativa é de policiais federais que participam do 1º Congresso de Jornalismo e Segurança Pública. A programação do evento prevê atividades gratuitas até quarta (22).

Para o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio Boudens, os dados “reforçam a ineficiência do modelo policial brasileiro”. O objetivo da ação, segundo Boudens, é “fazer a sociedade refletir”.

“São números de guerra e comprovam a situação de caos no país.”

Projeção organizada por policiais federais compara população carcerária no Brasil a de outros países (Foto: Marília Marques/G1)

Os dados da polícia federal, expostos na obra de Oscar Niemeyer, citam que “a cada 1 hora, sete pessoas foram mortas violentamente no país” e que as mais de “6 mil mortes violentas no país” – registradas em 2016 – equivalem a “uma bomba atômica por ano”.

Outros números projetados na cúpula do Museu incluem, ainda, dados do Monitor da Violência – projeto especial do, em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da USP e com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Projeção na cúpula do Museu exibe dados sobre violência no país (Foto: Marília Marques/G1)

O levantamento mostrou que em uma semana, de 21 a 27 de agosto, foram registradas 1.195 mortes violentas em todo país. No Distrito Federal, no mesmo período, foram oito casos contabilizados. Os crimes na capital são investigados pela Polícia Civil como homicídio e latrocínio – roubo seguido de morte.

Veja Também