• segunda-feira , 18 fevereiro 2019

Preso por feminicídio no DF viu filho ‘agonizando’ e atirou na cabeça da mulher; Justiça manteve prisão

Decisão foi tomada em audiência de custódia nesta terça. Policiais prenderam Ranulfo Silva em flagrante, após assassinato na 316 Norte.

Momento da prisão do homem que matou mulher e baleou filho; ele foi encontrado no Park Way — Foto: Reprodução/Polícia Militar

A Justiça do Distrito Federal decidiu manter preso por tempo indeterminado o vendedor de carros, Ranulfo Silva, de 72 anos, que matou a mulher e atirou no filho na 316 Norte, em Brasília, nesta segunda-feira (28). A prisão preventiva foi decretada após audiência de custódia nesta terça (29).

Na sessão, a juíza Flávia Pinheiro Brandão Oliveira destacou trechos do depoimento de Ranulfo à Polícia Civil. O suspeito contou que, após uma discussão com o filho Régis do Carmo, de 46 anos, foi até o quarto e pegou um revólver.

De volta à sala, ele atirou contra Régis, que – segundo o relato do próprio pai – “caiu no chão e ficou agonizando”. Depois de balear o filho, voltou ao quarto, recarregou a arma e efetuou diversos disparos contra a esposa, Diva Maria Maia da Silva, 69 anos.

Diva Maria Maia da Silva foi morta a tiros pelo marido, na 316 Norte, em Brasília  — Foto: Arquivo pessoal

Diva Maria Maia da Silva foi morta a tiros pelo marido, na 316 Norte, em Brasília — Foto: Arquivo pessoal

Um dos tiros atingiu a cabeça da vítima, que caiu na entrada do apartamento e morreu no local. Régis foi levado em estado grave ao Instituto Hospital de Base e, até a tarde desta terça, continuava internado na sala vermelha da unidade.

Alta periculosidade

Segundo a juíza, o fato narrado por Ranulfo “revela a elevada periculosidade do autuado”. A juíza ainda destacou a situação da filha do casal – que não estava no momento do crime, mas afirmou sofrer agressões físicas e ameaças de morte por parte do pai.

Amigos e vizinhos da família afirmaram à imprensa que o comportamento agressivo de Ranulfo era constante. Uma cabeleireira e amiga de Diva disse ao G1 que quando “fazia escova, encontrava caroços na cabeça dela porque o marido batia com o revólver”.

Diante dos relatos, a juíza defendeu que os crimes envolvem violência doméstica e familiar contra a mulher e, a prisão de Rafunlfo se justifica pela necessidade da garantia da execução das medidas protetivas de urgência.”A medida extrema é necessária para garantia da ordem pública e para assegurar a aplicação da lei penal.”

Homem atira em mulher e filho na 316 Norte — Foto: G1 DF

Homem atira em mulher e filho na 316 Norte — Foto: G1 DF

Prisão em flagrante

O agressor foi preso em flagrante na segunda (28), minutos após o crime. Ele tentou fugir, mas foi detido a cerca de 20 km do local pela Polícia Militar.

Imagem de câmara de segurança do prédio da 316 Norte mostra Diva Maria Maia da Silva ao lado do filho, Régis do Carmo, minutos antes do crime — Foto: Reprodução

Imagem de câmara de segurança do prédio da 316 Norte mostra Diva Maria Maia da Silva ao lado do filho, Régis do Carmo, minutos antes do crime — Foto: Reprodução

Imagens das câmeras de segurança do prédio registraram o momento em que o agressor deixou o edifício, às 10h26. Cerca de 14 minutos antes, às 10h12, os equipamentos mostraram a vítima e o filho carregando sacolas na entrada do bloco.

Agora, Ranulfo aguardará o julgamento encarcerado. Ele foi levado, na noite de segunda, para a carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE).

O corpo de Diva Maria Maia da Silva foi velado nesta terça-feira (29), no cemitério Campo da Esperança (Asa Sul). Fonte: G1

Veja Também