• terça-feira , 19 março 2019

Polícia prende falsa dentista no DF e encontra dentes recém extraídos de paciente

Técnica em saúde bucal trabalhava como dentista há um ano, diz polícia. Mulher vai responder em liberdade por exercício ilegal da profissão.

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu nesta quarta-feira (21) uma mulher, de 24 anos, suspeita de exercer ilegalmente a profissão de dentista. Ela trabalhava em uma clínica na região de São Sebastião e atendia um paciente no momento em que os policiais chegaram ao local.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Fábio Rodrigues Vieira, a jovem é técnica em saúde bucal, mas fazia procedimentos complexos, como extração, obturação e até tratamento de canal. Os policiais encontraram dentes recém extraídos de um paciente, que estava na cadeira da falsa dentista.

Paciente em cadeira de falsa dentista presa enquanto fazia um procedimento em São Sebastião, no DF — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Paciente em cadeira de falsa dentista presa enquanto fazia um procedimento em São Sebastião, no DF

Os investigadores chegaram ao local depois de uma denúncia do Conselho Regional de Odontologia. De acordo com a polícia, a suspeita confessou que exercia a profissão ilegalmente há um ano com o consentimento do dono da clínica.

A falsa dentista prestou depoimento e foi liberada. Ela vai responder por exercício ilegal da profissão e pode pegar até dois anos de prisão, segundo a polícia.

Outro caso

Falsa dentista atendia em consultório dentro de shopping em Brasília — Foto: Arquivo pessoal

Falsa dentista atendia em consultório dentro de shopping em Brasília

No começo de novembro, a Polícia Civil do DF prendeu outra suspeita de exercer ilegalmente a profissão de dentista. De acordo com as investigações, a mulher de 31 anos era auxiliar, mas atendia os pacientes sem a supervisão de um odontólogo.

O consultório em que ela atuava fica no quarto andar do shopping Conjunto Nacional – área central de Brasília. O dono da clínica também foi levado para delegacia, já que o estabelecimento não tinha autorização do Conselho Regional de Odontologia (CRO) para funcionar. Os dois assinaram um termo circunstanciado e foram liberados.

Cuidados

Para evitar cair em golpes como esse, o CRO recomenda que os pacientes desconfiem de preços muito abaixo da média e confiram a existência do registro profissional.

No DF, a informação pode ser obtida pelo telefone (61) 3035-1888

Veja Também