Segundo Secretaria de Administração Penitenciária, detentas foram isoladas e permanecem em quarentena de 14 dias. Prédio será desinfectado com ajuda do Exército.

Fachada da Penitenciária Feminina do DF, conhecida como Colmeia — Foto: TV Globo/Reprodução

A Secretaria de Administração Penitenciária do DF (Seape/DF) confirmou, nesta quarta-feira (15), que 11 detentas da Penitenciária Feminina, conhecida como Colmeia, estão infectadas com o novo coronavírus. Segundo a pasta, “as custodiadas diagnosticadas foram isoladas e permanecem em quarentena por 14 dias” e “o estado de saúde delas é considerado normal”.

A penitenciária será desinfectada, com a ajuda do Exército. “O mesmo ocorrerá em todo o sistema prisional, a exemplo do que fora feito no em 2020”, diz a Seape. A data para a realização do trabalho, porém, não foi divulgada.

As visitas na Colmeia, que ocorreriam nesta quinta-feira (16), foram suspensas. Elas serão repostas, segundo a Seape, no dia 7 de outubro “sem prejuízo para custodiados e familiares”.

A Colmeia tem capacidade para abrigar 1.028 presas. Atualmente, conforme a Seape, a unidade tem 720 custodiadas. Desde o início da pandemia, a secretaria diz que houve 89 casos de Covid-19 na penitenciária.

A Seape disse também que “tem adotado uma série de medidas para resguardar a saúde dos policiais penais e exercer o dever do Estado de garantir o bem-estar dos custodiados”. O trabalho de prevenção e de enfrentamento à doença é feito em conjunto com a Secretaria de Saúde (SES), a Vara de Execuções Penais (VEP-DF) e o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

A pasta afirma que “a população carcerária da PFDF, assim como das demais unidades prisionais do DF, está completamente imunizada”.

Escreva um comentário