• quinta-feira , 15 novembro 2018

PDT-DF decide hoje se fica com Rollemberg ou se lança candidatura própria

O partido no DF escolhe hoje entre estar ao lado do governador Rodrigo Rollemberg em busca da reeleição ou lançar candidatura própria ao palácio da Buriti. Hipótese mais provável é de que o ex-deputado distrital Peniel Pacheco seja o candidato

Michael Melo/Metrópoles

A Executiva Regional do PDT reúne-se hoje à noite para definir o destino do partido nas eleições de outubro. A formação de uma chapa com o pré-candidato do PR, Jofran Frejat, defendida pelos distritais da sigla, está descartada. Os pedetistas têm duas alternativas: apoiar a reeleição do governador Rodrigo Rollemberg ou lançar candidatura própria — essa última saída é a mais provável para o PDT. O ex-deputado distrital Peniel Pacheco é apontado como favorito do partido para concorrer ao Palácio do Buriti pela legenda, com o presidente da Câmara, Joe Valle, como candidato ao Senado.

Questões nacionais, como as negociações para o PR apoiar o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) na corrida pelo Palácio do Planalto, viraram entrave à aliança regional do PR e do PDT. O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, diz que a presença de pessoas denunciadas na chapa de Jofran Frejat também atrapalhou as tratativas. “Como a coligação com o Frejat está inviabilizada, o partido tem hoje as opções de apoio ao Rollemberg ou de candidatura própria, que é a maior tendência”, admitiu Lupi.
Joe Valle defendia a aliança com Frejat. A ideia era que ele fizesse dobradinha com Cristovam Buarque (PPS) na disputa ao Senado, e o MDB indicasse o candidato a vice-governador. Mas essa composição tinha um empecilho: Frejat havia negociado com o deputado federal Alberto Fraga (DEM) uma vaga para concorrer ao Senado. Aliados tentaram demovê-lo, mas não houve acordo. Diante do impasse e dos rumos nacionais do PR, o PDT percebeu que a aliança seria inviável.

O pré-candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, defende uma aliança com o PSB como estratégia nacional do partido. Mas, entre os pedetistas do Distrito Federal, a hipótese de apoio ao projeto de reeleição de Rollemberg é rechaçada. Valle, Reginaldo Veras e Cláudio Abrantes romperam com o chefe do Executivo e não aceitam uma aliança. Para eles, o lançamento de uma candidatura própria seria a melhor saída. Além do ex-distrital Peniel Pacheco, o ex-presidente da Câmara Legislativa Fábio Barcelos é um nome cotado para a disputa ao GDF. Barcelos, entretanto, é pré-candidato a deputado federal.

Caso a reunião da Executiva Regional sacramente a proposta de candidatura própria, o PDT tentará atrair outros partidos. Entre as siglas cortejadas estão PCdoB, PPL e PPS, de Cristovam. O senador declarou apoio ao tucano Izalci Lucas, mas representantes do PDT apostam na possibilidade de demovê-lo da iniciativa. A Rede Sustentabilidade, que está próxima de Rollemberg, é outro partido na mira dos pedetistas.
Fonte: Correio Braziliense

Veja Também