• terça-feira , 20 Fevereiro 2018

PCDF tem nova estrutura. Superdelegacias vão acelerar investigações

Mudanças foram publicadas na edição do DODF desta sexta-feira (19/1). Governador garante que alterações não têm motivação política

Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

A Polícia Civil do Distrito Federal, a partir desta sexta-feira (19/1), conta com duas novas coordenações. Uma vai mirar no combate ao crime organizado e a corrupção. A outra vai focar nos crimes contra o patrimônio. O objetivo é dar mais agilidade às investigações em curso em outras delegacias especializadas.

A superdelegacia contra a corrupção será coordenada pelo delegado Fernando César Costa, ex-delegado-chefe da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF). A de crimes contra o patrimônio ficará sob comado de Marco Aurélio Vergílio de Souza, que anteriormente chefiava a Delegacia de Roubos de Furtos de Veículos (DRFV).

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta sexta (19) também trouxe mudanças nas chefias de delegacias circunscricionais.

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) explicou em recente entrevista que as mudanças na estrutura da Polícia Civil não têm relação com a política nem com o ano eleitoral. “Desde o início da minha gestão, deixei claro que não ia interferir no trabalho da polícia”, ressaltou. Nesta sexta (19), o chefe do Executivo local vai detalhar as alterações.

Confira as mudanças
Fernando César montou um time especializado nas chefias das divisões. Vigílio Agnaldo Olzalami será diretor da Divisão de Repressão aos Crimes Contra a Ordem Tributária; Adriano Chaves Valente ficará responsável pela Divisão de Repressão ao Crime Organizado; Jonas Bessa vai assumir a diretoria da Divisão de Repressão às Facções Criminosas e Wenderson Souza e Teles comandará a Divisão de Repressão à Corrupção e aos Crimes Contra a Administração Pública.

A Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais também ganhou uma composição de peso. A delegada Ana Lúcia Toledo Pierre será chefe do Serviço de Cadastro, Controle, Apreensão e Restituição de Veículos;  Fábio Santos de Souza assume a diretoria da Divisão de Repressão a Latrocínio e a Roubos e Furtos de Cargas; Raphael da Silva Seixas assume a Divisão de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos e Bruno Rios Ehndo, a Divisão de Repressão à Adulteração e ao Desmanche Ilícito de Veículos.

A Coordenação de Repressão às Drogas (Cord), será comandada por Luiz Henrique Dourado, ex-chefe da Divisão Especial de Combate ao Crime Organizado (Deco).

A Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf) também passou por mudanças. Jonatas José Santos Silva será assessor da Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes; Marcelo Rodrigues Portela Nunes é o novo diretor da Divisão de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial; Fábio Rodrigues Vieira assume a Divisão de Defesa do Consumidor e Isabel Davila Lopes Borges de Moraes a Divisão de Falsificações e Defraudações.

O delegado Fábio Luiz de Farias foi nomeado chefe do Serviço de Inteligência Policial, do Departamento de Polícia Circunscricional (DPC). José Fernando Grana deixa o comando da 8ª Delegacia de Polícia (SIA). O delegado-adjunto da circunscricional, Carlos Diniz Rocha de Oliveira e Souza também foi exonerado. A unidade será chefiada por Rodrigo Bonach, que anteriormente assumia a Cord. O novo adjunto da 8ª DP será Omar Tarik de Madeiros Vargens.

Helder Arns Pedron, delegado de polícia, é o novo presidente da Comissão Permanente de Tomada de Contas Especial, do Departamento de Administração Geral da PCDF. A Coordenação de Repressão a Homicídios e de Proteção à Pessoa também está sob novo comando. Ecimar Loli será o coordenador juntamente com a delegada Carolina Barreto de Almeida Braga, como assessora. Os delegados André Luiz Fonseca Sala e Viviane da Cunha Bonato serão diretores da primeira e segunda divisão da especializada, respectivamente.

Veja Também