• quinta-feira , 19 julho 2018

Pacientes com leucemia no DF não conseguem fazer exame de rotina para acompanhar doença

Na reunião, o ex-governador reafirmou apoio a pré-candidatura de Frejat e lembrou de obras realizadas durante o tempo em que esteve à frente do Palácio do Buriti

Arruda reafirmou apoio ao pré-candidato ao Buriti Jofran Frejat
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

O ex-governador José Roberto Arruda (PR) participou de um evento com apoiadores da campanha de Jofran Frejat (PR) ao Buriti, no Areal, na manhã de sábado (30/6). Arruda fez um discurso empolgado, em que reafirmou o apoio à pré-candidatura de Frejat e lembrou obras do tempo em que esteve à frente do Governo do Distrito Federal. O ex-vice-governador Tadeu Filippelli (MDB) também participou da reunião.

“Eu estava em casa agora pela manhã e o pessoal estava me segurando e dizendo: ‘Arruda, agora não é hora ainda’. Mas aí as pessoas começaram a me ligar e eu pensei: ‘Quer saber de uma coisa? Eu vou lá, nem que seja para dar um abraço nos meus amigos, no Filippelli, no Frejat”, declarou Arruda, que pretende lançar a mulher, Flávia Arruda (PR), à deputada federal.

Arruda foi protagonista da operação Caixa de Pandora, que apontou a existência de esquema de apoio político a ele na campanha de 2006 em troca de propina. Arruda deixou o governo em 2010, após ser cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal.

Apenas apoio
Ao Correio, Frejat disse que ele e Arruda são do mesmo partido e que, por isso, é natural que o ex-governador apoie a candidatura. Ele reforçou que não esteve envolvido em escândalos de corrupção e que cada um deve responder pelos próprios atos. “Não tenho nada a ver com as questões de cada um deles, não me envolvo com isso. Quem quiser me dar apoio, que dê, mas eu não respondo pelos atos de ninguém”, afirmou. “Tudo o que as pessoas fizerem de bom eu apoio, mas o que fizerem de errado não posso responder por isso.”
Ele garantiu também que, caso eleito, terá um governo independente. “Não adianta acharam que eu vou fazer do governo balcão de negócios, porque não vou. Agora qualquer apoio será bem-vindo”, disse.
Fonte: Correio Braziliense

Veja Também