• quarta-feira , 24 outubro 2018

Multa a motoristas pegos embriagados no DF sobe 70% em um ano

De 2016 para 2017, quantidade passou de 14.358 para 24.425. Nova lei dobra pena para quem provoca morte no trânsito.

Agentes do Detran fazem teste do bafômetro em motorista (Foto: TV Globo/Reprodução)

Apesar da redução de mortes no trânsito de 2016 para 2017, o número de autuações a motoristas flagrados alcoolizados no Distrito Federal aumentou 70% nesse mesmo período. A quantidade passou de 14.358 para 24.425.

A multa para quem é pego sob influência de álcool ou para quem se recusa a soprar bafômetro é de R$ 2.934,70. Quem for flagrado mais de uma vez no prazo de um ano paga o dobro.

Estudiosos afirmam que o motivo ainda é a certeza de que não haverá punição. “As pessoas cometem crimes de trânsito, ceifam vidas em via pública e [quando] chega no momento de ser punida, acaba que essa punição não é tão severa”, declarou o especialista Márcio de Andrade.

No fim do ano, foi sancionada uma lei que dobra a pena para quem provoca morte no trânsito – passou de até 4 para 8 anos de prisão. Ainda de acordo com o especialista, a legislação poderia ser ainda mais rígida. “No meu entendimento, a pessoa que bebe e dirige ela deveria ser autuada por homicídio doloso porque ela assume o risco de produzir o efeito nocivo.”

Em blitz, as desculpas seguem as mesmas. “A maioria dos condutores acham que por mais que sejam poucas doses eles têm condições de dirigir. Porém o álcool faz efeito na forma de conduzir, mesmo em doses baixíssimas”, declarou o diretor de fiscalização do Detran, Glauber Peixoto.

Agente do Detran faz teste do bafômetro em motorista (Foto: TV Globo/Reprodução)

 

Mortes no trânsito

O DF fechou o ano de 2017 com o menor número de mortes já registrado no trânsito. Foram 254 contra 390 no mesmo período de 2016. Isso representa uma queda de 35% na quantidade de mortes em um ano.

Veja Também