• domingo , 9 dezembro 2018

Ministério da Justiça abre vagas para trabalho voluntário com refugiados no DF

Candidatos devem ter conhecimento avançado em inglês, francês ou espanhol. Inscrições vão até 29 de abril; veja como participar.

Sarah Hazeemeh, de 21 anos, nasceu em Damasco, na Síria, e é uma das refugiadas que estuda no Brasil (Foto: Marcelo Brandt/G1)

O Ministério da Justiça abriu inscrições para voluntários interessados em trabalhar com refugiados em Brasília. Os currículos podem ser enviados até o próximo dia 26 para o Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), vinculado à pasta federal (veja abaixo como se inscrever).

Para participar, o candidato deve ter fluência em inglês, francês e/ou espanhol, e comprovar que está cursando ou já concluiu o ensino superior. Profissionais e estudantes de direito, relações internacionais, letras, ciências sociais, serviço social e áreas afins têm prioridade.

O trabalho, segundo o ministério, tem início previsto para 14 de maio e duração de três meses. Há possibilidade que as atividades se estendam por mais três meses.

A lista de tarefas inclui atividades administrativas como transcrições de áudios de entrevistas dos solicitantes de refúgio, “investigações e diagnósticos dos aspectos geopolíticos” dos países de origem dos solicitantes.

Na descrição da vaga, o MJ pede que o candidato tenha disponibilidade de, pelo menos, 12 horas semanais. Por fim, terá direito ao certificado o voluntário que cumprir o tempo mínimo de prestação de serviços, sem interrupção.

Inscrições

De acordo com o edital, os interessados devem encaminhar o currículo para o e-mail: rsd.conare@mj.gov.br com o assunto “Voluntariado Conare”. Os documentos serão analisados e os voluntários selecionados ainda vão passar por uma entrevista presencial.

Jovem curdo sírio refugiado carrega uma criança após cruzar a fronteira entre a Síria e a Turquia, próximo a cidade turca de Suruç. Mais de 130 mil curdos sírios atravessaram a fronteira nos últimos 3 dias fugindo do avanço do grupo Estado Islâmico (Foto: Murad Sezer/Reuters)

Refugiados no DF

Dados recentes do Ministério da Justiça mostram que, dos 10,1 mil refugiados acolhidos pelo governo brasileiro durante 10 anos, mais da metade pode ter deixado o país após a imigração. O levantamento aponta que apenas 5,1 mil deles permanecem em território nacional. Os demais estão com o registro inativo na Polícia Federal.

Do total que escolheu permanecer, 5% reside no Distrito Federal. Os demais têm como domicílio os estados de São Paulo (52%), Rio de Janeiro (17%) e Paraná (8%).

Veja Também