• domingo , 24 março 2019

Ministério da Defesa é esvaziado após vazamento de gás

Os funcionários do órgão e o ministro, general Azevedo e Silva, tiveram de deixar o prédio na tarde desta quinta-feira (14/2)

O Ministério da Defesa, que fica no Bloco Q da Esplanada dos Ministérios, precisou ser esvaziado na tarde desta quinta-feira (14/2) após um vazamento de gás no prédio. Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi até o local para averiguar a situação.

De acordo com testemunhas, a evacuação começou às 15h10. O ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, também estava presente no momento e teve que descer. No entanto, após 25 minutos, o Corpo de Bombeiros concluiu que não havia riscos, e todos puderam retornar ao prédio.

O Corpo de Bombeiros deslocou duas viaturas e nove militares para atender a ocorrência no Ministério da Defesa. O problema ocorreu no sexto andar, onde está sendo feita uma obra, que teria atingido a canalização de gás. Houve um pequeno vazamento, que foi reparado pela própria empresa responsável pela reforma.

Os bombeiros tiveram que adotar procedimentos de segurança, como corte de energia, evacuação do prédio e monitoramento do reparo da canalização. Logo depois, foi feita uma ventilação no local e o público, liberado para suas atividades normais. Não houve vítimas e ninguém precisou ser transportado ao hospital.

Usina de Lixo
Em Ceilândia, três pessoas tiveram de ser socorridas pelos bombeiros após passarem mal na Usina de Lixo do Setor P Sul, na manhã desta quinta-feira (14). Elas tiveram de ser levadas à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da região administrativa após sentirem tontura, náuseas e fraqueza.

Assim que foram acionados, os bombeiros deslocaram para a usina cinco viaturas, entre elas duas especializadas em detecção de produtos perigosos, e 18 militares. Foi feita uma varredura no local, mas a equipe não achou nenhum material radioativo ou substância tóxica.

“O local foi liberado e orientamos o pessoal responsável pela usina que, no caso de haver novas evidências, que seja imediatamente interditada e acionem o Corpo de Bombeiros”, destacou nota da corporação.

Nota do SLU
Em nota, o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) informou que, durante a triagem de material reciclável na Instalação de Recuperação de Resíduos (IRR) na Usina do P Sul, catadores de uma cooperativa contratada pelo SLU abriram um saco de lixo, procedente do serviço da coleta seletiva, com um material não identificado.

“Alguns catadores tiveram contato com este material e, embora conscientes e orientadas, sentiram náuseas, tonturas e fraqueza. O Corpo de Bombeiros foi acionado e prestou os primeiros atendimentos, além de encaminhar três vítimas à UPA e o Hospital Regional de Ceilândia”, destacou o órgão.De acordo com o SLU, todos já foram liberados e sexta (15) serão acompanhados pela equipe da Diretoria de Vigilância Epidemiológica, da Secretaria de Saúde do DF. Embora os Bombeiros não tenham identificado produtos radioativos, por precaução, toda carga da coleta seletiva descarregada nesta IRR foi considerada comprometida pelo SLU e encaminhada para o Aterro Sanitário de Brasília. A área será higienizada e retomará a operação normal nesta sexta-feira (15), ainda segundo o Serviço de Limpeza Urbana.

Embrapa
Mais cedo, o prédio da Embrapa localizado no final da Asa Norte precisou ser esvaziado, após incêndio na central elétrica do quinto andar do edifício. Segundo o Corpo de Bombeiros, as chamas foram rapidamente apagadas e ninguém ficou ferido.

A corporação atuou com seis viaturas e 19 militares. Até as 14h10, o prédio não havia sido liberado para o retorno dos servidores. A perícia foi ao local para descobrir as causas do incêndio.

Fonte Metrópoles

 

Veja Também