• segunda-feira , 12 novembro 2018

MinC dá início a série de seminários para capacitar produtores culturais

Circuito #CulturaGeraFuturo promove seminários em todas as capitais brasileiras

Ministério da Cultura

O Ministério da Cultura deu início ao circuito #CulturaGeraFuturo, uma série de seminários programados para as 27 capitais brasileiras com o intuito de capacitar produtores, artistas e gestores culturais para o uso dos mecanismos de fomento disponíveis no órgão. Iniciado na segunda (2/04) em Macapá (AP), o circuito consiste em disponibilizar equipes do MinC para esclarecer dúvidas e mostrar o passo a passo na utilização dos recursos. Segundo o ministro da Cultura, Sérgio de Sá Leitão, ainda há estados e regiões que não fazem uso dos mecanismos por puro desconhecimento. “Ao refletir sobre o porquê de esses mecanismos serem pouco utilizados em alguns estados e regiões, uma das conclusões é que isso acontece pela falta de informação e pela falta de preparação dos produtores e artistas para utilizar esses mecanismos”, garante.

Segundo o MinC, não houve captação alguma de recursos via Lei Rouanet nos estados do Amapá, Acre e Roraima, por isso a decisão de começar o circuito por Macapá. Em uma tentativa de corrigir essas distorções, o MinC contemplou o Amapá com um edital que vai investir R$ 3 milhões na produção de conteúdo audiovisual. Em 2017, um total de R$ 1,183 bilhão foram captados graças à lei e a projeção para 2018 é de R$ 1,35 bilhão. Para este ano, o MinC prevê ainda R$ 300 milhões para a Lei do Audiovisual e R$ 1,2 bilhão para o programa #AudiovisualGeraFuturo, via Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

 “O fato é que, para 2018, temos um valor significativo e, se atingirmos esse teto, vamos estabelecer um recorde de utilização da Lei Rouanet. Estamos firmes nesse compromisso e vamos fazer tudo para que seja injetado na economia criativa brasileira. Queremos aumentar o uso da lei Rouanet em estados onde tem tido baixa captação de recursos”, explica Sá Leitão. “Precisamos levar o ministério a todas as regiões e estados do país para que a equipe do ministério possa conhecer as  diversas realidades e os diversos brasis que convivem no Brasil e estabelecer as pontes para um diálogo proveitoso com os artistas e produtores locais, com os gestores públicos de cultura.”

A Lei Rouanet é apenas um dos mecanismos de fomento disponíveis no MinC. A Lei do Audiovisual, o Fundo Nacional de Cultura e os editais em todas as áreas também estão entre os instrumentos que o circuito #CulturaGeraFuturo pretende divulgar. A ideia é promover a descentralização de recursos e diminuir a desigualdade no financiamento de projetos, uma velha guerra das eventuais políticas culturais brasileiras. Há décadas, Rio de Janeiro e São Paulo são os estados que mais se utilizam dos mecanismos. “Eu acho que  muito pouco de concreto e objetivo foi feito em relação a isso. De um lado para ampliar o grau de acesso e de outro, para potencializar onde tem baixa utilização. Tomamos algumas medidas no ministério que buscam enfrentar esses desafios de maneira prática e objetiva. O seminário é uma das medidas práticas para que a gente possa fazer com que haja mais projetos culturais sendo apresentados nas regiões da baixa utilização”, diz o ministro. Os seminários estão programados para percorrer as cinco regiões do Brasil até julho

Veja Também