• quarta-feira , 14 novembro 2018

Mesmo com denúncia sobre funcionário fantasma, distritais mantêm Juarezão na Corregedoria

Gustavo Araújo Passos, jogador do Ceilândia, estava lotado no gabinete do deputado distrital. Durante votação nesta terça, parlamentar foi reconduzido ao cargo.

Deputado Juarezão (PSB), em foto de arquivo (Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília)

Menos de duas semanas após a Câmara Legislativa do Distrito Federal exonerar um jogador de futebol que era “funcionário fantasma” do gabinete do deputado Juarezão (PSB), a Casa votou pela permanência do parlamentar no cargo de corregedor. O mandato do distrital acabou em dezembro de 2017, mas nesta terça-feira (20) ele foi reconduzido à posição após votação por maioria simples.

.O presidente da Câmara, Joe Valle (PDT), disse que é “tradição” do legislativo local manter o corregedor por dois anos, apesar de “regimentalmente a eleição ser anual”.

Exoneração do servidor Gustavo Araújo Passos, jogador do Ceilândia (Foto: Reprodução)

“Tomamos a atitude de fazer a demissão do funcionário, com urgência, e estamos aguardando um grupo de trabalho avaliar a situação. Um outro corregedor poderá ser acionado no caso de ele ser uma pessoa investigada”, explicou Joe Valle.

Segundo o presidente da Casa, Juarezão prestou esclarecimentos à Procuradoria, que analisa o caso. “Tem um processo que está em andamento. Ele fez as explicações e a gente está avaliando”, disse Joe Valle.

Gustavo Araújo Passos, jogador do Ceilândia, era comissionado na Câmara Legislativa do DF no gabinete de Juarezão, mas não ia trabalhar. No horário de expediente, ele treinava e jogava futebol profissionalmente. Em dezembro de 2017, ele recebeu salário de R$ 4.549,94.

Jogador Gustavo Araújo Passos, lateral-direito do Ceilândia (Foto: TV Globo/Reprodução)

Gustavo é titular do Ceilândia, mas uma secretária do gabinete do distrital informou que o atleta trabalhava na Câmara das 9h às 19h. A reportagem, porém, o procurou no trabalho pessoalmente e por telefone durante duas semanas e nunca o encontrou.

Ao ser confrontado pela reportagem na saída de um jogo de futebol disputado quando ele deveria estar no trabalho, o jogador respondeu: “Sim, sou eu nesse documento, mas não sei de nada disso que você está falando”.

“Eu me dedico 100% ao futebol. A gente treina à tarde, de três às seis.”

Em Brazlândia?

Em uma gravação telefônica, um dia depois que a Câmara Legislativa voltou do recesso parlamentar, quem atendeu a ligação informou que Gustavo tinha ido trabalhar, mas estava em um escritório em Brazlandia.

Por meio de nota, o deputado Juarezão disse que Gustavo “presta serviços no escritório parlamentar em Brazlândia no momento” e afirmou que “não tem conhecimento sobre o funcionário dedicar-se 100% ao futebol”.

 

Veja Também