As duas práticas foram proibidas pelo último decreto municipal.

Fogos de artifícios — Foto: G1/Arquivo.

O Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) registrou 633 ocorrências relativas à compra e venda de fogos de artifício e ao uso de fogueiras durante a véspera e o Dia de São João, na área metropolitana da capital sergipana.

Essa prática estava proibida desde o dia 18 de junho quando o prefeito Edvaldo Nogueira assinou um decreto proibindo, até o dia 30 de junho, a comercialização, o acendimento e a utilização de fogos de artifício e fogueiras na cidade.

De acordo com dados do Ciosp, o Bairro Industrial foi o local com maior número de ocorrências registradas, com 33 registros.

Ainda segundo o centro, o número de ocorrências, entretanto, foi 10% menor do que o registrado em 2020. Além disso, um fato inusitado, que foi o uso de fogueiras artificiais em vias públicas, o que gerou transtorno no acionamento das viaturas, uma vez que não se tratava do uso de fogueiras propriamente ditas e ocorrências relevantes poderiam estar deixando de ser atendidas.

Escreva um comentário