• sábado , 20 outubro 2018

Ladrão de terno se finge de cliente, assalta joalheria em Brasília e leva R$ 400 mil em produtos

Ele contou com ajuda de mais três comparsas, que chegaram depois. Durante ação, funcionários foram trancados no banheiro.

Joalheria alvo de criminosos na Asa Norte (Foto: Reprodução/TV Globo)

Uma joalheria foi assaltada na manhã de terça-feira (24) na 213 Norte, em Brasília, por um ladrão que se fingiu de cliente. O prejuízo supera os R$ 400 mil. Funcionários chegaram a ser trancados no banheiro durante a ação.

O caso ocorreu por volta das 10h30. As imagens do circuito interno mostram o ladrão, um homem de terno, esperando a vendedora abrir a porta. Assim que ele cumprimentou a funcionária, anunciou o assalto.

Ladrão de terno ao entrar na loja (Foto: Reprodução/TV Globo)

Sob ameaça da arma, a vendedora foi obrigada a abrir a porta para os comparsas dele. Outros dois homens entraram e um deles trancou a loja. As vítimas contam que eram ameaçadas de morte o tempo todo.

Foi neste momento em que os homens trancaram os funcionários no banheiro. Em cinco minutos, pegaram mais de R$ 400 mil em joias, fora os R$ 2 mil que estavam no caixa. Depois, fugiram em um carro que estava parado do lado de fora, onde aguardava um quarto integrante.

A polícia chegou até alguns deles, poucas horas depois, graças a uma denuncia na delegacia de Samambaia Norte. O alerta falava em homens que tinham vindo com joias em uma casa da região. O grupo já era monitorado pelos investigadores.

De acordo com a polícia, o lugar era usado para guardar objetos roubados. Quando os agentes viram as imagens da joalheria, conseguiram confirmar a identidade dos assaltantes.

Vitrine de joalheria sem produtos após ação de ladrões (Foto: Reprodução/TV Globo)

O caso será investigado pela delegacia da Asa Norte. Deusivan Lima, de 21 anos, e Jonas Tertulino, de 25 anos, foram presos. Já João de Deus Neto, de 20 anos, está foragido. O comparsa que ajudou na fuga não foi encontrado.

Outras duas pessoas foram levadas para a delegacia: o dono da casa em Samambaia e um suspeito de receptação, que iria comprar as joias. Nenhuma vítima quis gravar entrevista. Parte das joias continua desaparecida.

Policiais ao abordar casa onde produtos eram escondidos no DF (Foto: Reprodução/TV Globo)

Fonte: G1 DF.

Veja Também