• quinta-feira , 19 Abril 2018

Joe Valle diz que está ‘na fila’ para ser candidato ao Buriti

Durante entrevista coletiva sobre balanço dos trabalhos na CLDF, presidente da Casa admitiu disputar eleições majoritárias em 2018. Ex-secretário do Trabalho de Rollemberg, Valle fez críticas ao governo.

Presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle, fez balanço do ano de 2017 à frente da CLDF (Foto: Gabriel Luiz/G1)

O presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT), informou nesta quarta-feira (20) que “está na fila” para ser governador do Distrito Federal. Ex-secretário do Trabalho do governo Rollemberg, ao fazer um balanço da gestão dele à frente do Legislativo, Valle qualificou o Executivo como “desorganizado” e “ausente”.

Joe Valle disse que há outros possíveis candidatos no panorama para as eleições de 2018. Como exemplo, citou Jofran Frejat (PR, que tentou chegar ao Buriti em 2014) e o próprio governador Rodrigo Rollemberg (PSB).

Joe Valle relembrou o episódio em que o partido dele, o PDT, deu um “ultimato” ao governo, há cerca de 20 meses. “Fizemos uma reunião e entregamos um documento. Dissemos que ele teria 18 meses para cumprir mais de 50% das proposições. Era o plano de governo dele, com propostas como baixar imposto sobre remédios de uso contínuo.”

Relação com o GDF

Apesar da postura de oposição pessoal, Joe Valle declarou que a Casa mantém uma “relação institucional” com o Buriti. Ainda assim, ele criticou a forma como o Executivo tem pautado assuntos como o projeto que cria o Instituto Hospital de Base ou aqueles que tratam do uso de recursos dos fundos de previdência (Iprev).

O mais recente, sobre o Iprev, adiou por diversas vezes a votação do orçamento para 2018. Em uma sessão conturbada, deputados alegaram que o governo apresentou de “última hora” uma emenda que pretende direcionar R$ 1,2 bilhão do Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal para despesas correntes, como casamento comunitários.

Ainda sem consenso, o assunto só vai ser apreciado pelos distritais durante uma sessão extra, marcada para 15 de janeiro. O que os parlamentares vão buscar é que o governo detalhe, área por área, como pretende alocar o dinheiro.

“Em nenhuma vez, fizemos votação às escuras e de forma urgente. As votações têm sido muito divididas. Não aceitamos em nenhum momento imposições. Quando é claro o benefício para a cidade, há consenso.”

Ainda no assunto, Joe Valle declarou que vai pedir pela terceira vez para o governo enviar um “plano de voo” para o ano. A ideia é o governo adiantar a pauta legislativa para o semestre.

“Pedi em janeiro e em agosto. Nenhuma vez ele mandou. Isso daria um tom de organização no governo. E também prepara a Câmara para melhorar as leis.”

Corte de gastos

Para 2018, Joe Valle (que chega ao segundo e último ano de mandato como presidente) afirmou que a gestão dele vai continuar pautada pela austeridade. Afirmou que a Câmara economizou 9,5% das despesas com relação a 2016.

Entre os pontos que aponta como tendo maior economia estão gastos com passagens (-98,2%), comunicações e Correios (-88,2%) e manuenção e conservação de máquinas (-83,4%).

Segundo a Câmara, ao todo 1.173 proposições foram apreciadas em Plenário neste ano, que se resumiu em 105 sessões ordinárias e 36 extraordinárias.

Veja Também