• terça-feira , 17 outubro 2017

Izalci Lucas é mantido no comando do PSDB-DF e Abadia fica indignada

GEORGE GIANNI/PSDB

GEORGE GIANNI/PSDB

A direção nacional do PSDB manteve o deputado federal Izalci Lucas no comando da legenda no Distrito Federal por mais 120 dias. O prazo pode ser prorrogado por igual período. A decisão partiu do presidente do partido, senador Tasso Jereissati. Se a ideia era colocar um ponto final na crise entre os tucanos brasilienses, não deu certo.

A primeira a se rebelar foi Maria de Lourdes Abadia, referência da legenda no DF. Ela não gostou de ver seu nome listado como integrante da nova “executiva provisória”. Em nota, afirmou ter sido surpreendida com a informação de que Izalci permaneceria como presidente do partido e, mais ainda, com a inclusão dela no colegiado.

“Comunico aos amigos tucanos que não fui consultada para fazer parte desta comissão. E amanhã (hoje) estarei protocolando oficialmente pedido de retirada do meu nome desta executiva provisória, da Executiva Nacional e regional”, informou.

E foi além: “Na oportunidade, registro os meus sentimentos de pesar em ver o nosso querido PSDB não ser capaz de realizar uma convenção democrática, respeitando as diferenças, com sabedoria… com espírito de união…numa caminhada vitoriosa rumo às eleições de 2018… E aos tucanos que não conseguiram tecer uma rede fortalecida de unidade e esperança, muita coragem… A luta continua…”

Reprodução

O PSDB-DF está mergulhado em uma crise interna sem precedentes. Parte do partido está descontente com os rumos da gestão de Izalci, que não esconde sua intenção de disputar o comando do Palácio do Buriti nas próximas eleições.

O deputado federal, por sua vez, entende que a continuidade da intervenção na legenda é o caminho para a unidade. Também em nota divulgada nesta quarta-feira (4/10), o parlamentar destacou que “esta prova de confiança e apoio por parte da direção nacional do PSDB nos dá a certeza de que estamos no caminho certo para que nosso partido assuma o protagonismo no cenário político do Distrito Federal”.

E mandou um recado para os integrantes do partido que ensaiam uma união com Rodrigo Rollemberg (PSB), numa possível aliança para 2018: “É também um gesto inequívoco de que não aceitaremos a nefasta tentativa do atual governador do DF de interferir nos destinos do PSDB na capital federal”.

Veja Também