• quarta-feira , 12 dezembro 2018

IPVA com valor errado em Brasília afeta 52 mil motoristas; diferença deve ser paga

Cobrança não incluiu alíquota de isenção. Secretaria de Fazenda enviou carta com novo boleto.

Chegou a hora de o motorista de Brasília acertar a segunda parcela do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2018, mas o valor que deve ser pago foi mal calculado pela Secretaria de Fazenda do DF.

Na capital, cerca de 52 mil motoristas receberam uma carta do órgão informando que o boleto enviado está com valor abaixo do realmente devido – e que a diferença deve ser paga.

Estes motoristas são os que compraram carro novo em 2016 e receberam isenção do IPVA. Nestes casos, o imposto passa por cálculo diferenciado no três anos seguintes à aquisição. O percentual adicional na alíquota pode variar de um acréscimo de 0,25% a 0,5% – depende do tipo de veículo.

Imagem da Estrada Parque Taguatinga (EPTG) (Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília)

No entanto, neste ano, o boleto do IPVA chegou na casa dos motoristas sem a cobrança do adicional. “Em 2017, 2018 e 2019, tem de vir uma alíquota de 4% em vez de 3,5%. Então, essa diferença de 0,5% para veículos de quatro rodas foi cobrada normalmente em 2017”, explicou a secretária adjunta de Fazenda, Márcia Robalinho.

“Em 2018, houve uma falha no sistema, uma alteração que não deveria ocorrer, e isso acabou não sendo cobrado.”

Como pagar a diferença?

O valor residual poderá ser pago de duas formas:

  1. Pagamento à vista com 5% de desconto até 29 de março
  2. Pagamento parcelado nas datas dos débitos da 2ª, 3ª e 4ª parcelas

Chegou a hora de o motorista de Brasília acertar a segunda parcela do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2018, mas o valor que deve ser pago foi mal calculado pela Secretaria de Fazenda do DF.

Na capital, cerca de 52 mil motoristas receberam uma carta do órgão informando que o boleto enviado está com valor abaixo do realmente devido – e que a diferença deve ser paga.

Estes motoristas são os que compraram carro novo em 2016 e receberam isenção do IPVA. Nestes casos, o imposto passa por cálculo diferenciado no três anos seguintes à aquisição. O percentual adicional na alíquota pode variar de um acréscimo de 0,25% a 0,5% – depende do tipo de veículo.

No entanto, neste ano, o boleto do IPVA chegou na casa dos motoristas sem a cobrança do adicional. “Em 2017, 2018 e 2019, tem de vir uma alíquota de 4% em vez de 3,5%. Então, essa diferença de 0,5% para veículos de quatro rodas foi cobrada normalmente em 2017”, explicou a secretária adjunta de Fazenda, Márcia Robalinho.

“Em 2018, houve uma falha no sistema, uma alteração que não deveria ocorrer, e isso acabou não sendo cobrado.”

Como pagar a diferença?

O valor residual poderá ser pago de duas formas:

  1. Pagamento à vista com 5% de desconto até 29 de março
  2. Pagamento parcelado nas datas dos débitos da 2ª, 3ª e 4ª parcelas

 

Veja Também