• sexta-feira , 18 janeiro 2019

Hospital de Santa Maria, no DF, faz evento de apoio a pais de bebês prematuros

Rodas de conversa, sessão de fotos e palestras fazem parte das atividades do ‘Novembro Roxo’, que vão até sexta-feira.

O Hospital Regional de Santa Maria, no Distrito Federal, promove nesta semana uma série de atividades para falar sobre bebês prematuros. De terça (27) até sexta-feira (29), rodas de conversa, palestras e sessões de fotografia reúnem pais, filhos e servidores do hospital público.

O trabalho faz parte das comemorações do “Novembro Roxo”, mês dedicado aos prematuros. Na terça-feira, as famílias puderam conversar sobre os benefícios do Método Canguru – quando os bebês de baixo peso são colocados em contato pele a pele com a mãe ou com o pai até que atinjam 2,5 kg.

Polvos de crochê

Bebê prematuro com polvo de crochê em UTI do Hospital de Santa Maria, no DF — Foto: Matheus Oliveira/GDF/Divulgação

Bebê prematuro com polvo de crochê em UTI do Hospital de Santa Maria, no DF

Os polvos de crochê nas incubadoras são outra experiência que deu certo com bebês de risco. No Distrito Federal, o Hospital de Santa Maria foi pioneiro no trabalho com os bichinhos artesanais na UTI neonatal.

Em março de 2017, a iniciativa “importada” da Dinamarca passou a ser usada com os prematuros em Brasília. Os bonecos com oito tentáculos de 22 centímetros de comprimento, feitos em fios 100% algodão, passaram a envolver os recém nascidos.

Os relatos das famílias e das equipes de saúde foram de melhora nos sinais vitais e ganho de peso mais rápido. “Os tentáculos do polvo se assemelham ao cordão umbilical da mãe, com isso, os bebês se sentem protegidos”, relataram, na época, os envolvidos no projeto.

Veja Também