• sexta-feira , 20 julho 2018

Greve no Metrô do DF trouxe prejuízo de R$ 6,93 milhões, calcula empresa

Companhia estima que 50 mil pessoas deixem de usar serviço diariamente. Mobilização completou um mês no último dia 9.

Metrô-DF informa que estações estão fechadas por falta de funcionários (Foto: Larissa Batista/G1)

A greve no Metrô do Distrito Federal trouxe prejuízo de R$ 6,93 milhões à companhia em um mês de paralisação, informou a companhia nesta terça-feira (12). A administração estima que 50 mil pessoas deixaram de usar os serviços todos os dias, que normalmente é acessado por 160 mil pessoas diariamente.

Mesmo sendo uma empresa pública com gestão independente, o Metrô é bancado pelo governo do DF. Todos os meses, é deficitária – porque os gastos são maiores que a arrecadação.

No entanto, tendo de lidar com esse prejuízo de quase R$ 7 milhões, a companhia prevê que deve pedir mais recursos do Tesouro para pagar as despesas obrigatórias, como os gastos com energia ou limpeza.

Já o gasto com funcionários foi menor, uma vez que o Metrô cortou o ponto dos funcionários grevistas. O Metrô informou que deixou de pagar aproximadamente R$ 1 milhão por não trabalho. No mês passado, sem a greve, a folha de pagamento alcançou R$ 8,9 milhões.

Procurado, o Sindicato dos Metroviários disse lamentar o prejuízo, mas afirmou que ele foi causado pelo próprio governo.

“Esse prejuízo sempre aconteceu porque, mesmo sem greve, as catracas chegam a ser abertas já que não tem funcionário suficiente. Poderiam ter resolvido esse problema antes contratando mais gente. Aí não perderam tanto [dinheiro]”, declarou o Sindimetrô.

Estação Arniqueiras, em Águas Claras, durante dia de greve (Foto: Marília Marques/G1)

Um mês

Os funcionários Metrô completaram um mês de greve no último sábado (9). O grupo reivindica aumento salarial e novas contratações por parte do governo do DF.

Os funcionários pedem reajuste salarial de 8,4%, com base na variação do índice INPC, e a contratação de 631 pessoas aprovadas no último concurso – 331 de forma imediata e 300 de cadastro de serva.

Nos horários de pico, que agora vão das 6h às 8h45 e das 16h45 às 19h30, o metrô funciona com 18 dos 24 trens.

Já nos períodos alternativos, de menor circulação de pessoas, são 3 a 5 trens para todo o DF. Cerca de 160 mil passageiros utilizam o transporte todos os dias.

Veja Também