• segunda-feira , 18 junho 2018

Greve dos servidores do Detran prejudica oito mil pessoas por dia

Servidores descumprem ordem de manter 80% do efetivo trabalhando

João Stangherlin

A greve dos servidores do Departamento de Trânsito (Detran) prejudica oito mil pessoas por dia. A Justiça até tentou fazer com que a maioria dos serviços fosse mantida, com 80% do efetivo, mas o cenário nos postos era de total esvaziamento ontem, no primeiro dia do ato. Apenas as unidades do Na Hora funcionam, com serviços reduzidos em relação à normalidade. É a terceira vez que os profissionais da autarquia cruzam os braços neste ano – desta vez por tempo indeterminado.

O Governo de Brasília correu à Justiça para impedir que a categoria entrasse em greve. A Procuradoria-Geral do DF ajuizou ação pela declaração de abusividade. No início da noite de segunda, o desembargador Arnoldo Camanho de Assis, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), determinou que 80% dos servidores não abandonassem os postos de trabalho. A Corte ainda tem de decidir sobre a ilegalidade ou abusividade da greve.

Até ontem, Sindetran, que representa a os servidores, ainda não havia sido notificado oficialmente. “Não existe uma greve com 80% da categoria trabalhando. Ou deixa o direito de greve ou acaba com ela. Quando formos notificados, a assessoria jurídica deve ingressar contra a liminar”, afirma Fábio Medeiros, presidente da entidade.

Os servidores reivindicam o cumprimento dos acordos firmados em 2015 com o governador Rodrigo Rollemberg (PSB), como reajuste de 5% dos salários e atualização do auxílio-alimentação em 10%, além da atualização da gratificação de titulação.
Os 1,3 mil servidores já fizeram paralisações em 26 de fevereiro, 2 e 8 de março. De acordo com Medeiros, o movimento grevista é o único instrumento para cobrar as exigências, apesar dos transtornos à população. “O Detran tem verba autônoma e não gera despesas ao Executivo. Queremos contraproposta justa”, afirma.

Serviços

Segundo o Detran, são realizados cerca de 8 mil atendimentos por dia em todas as unidades da autarquia. Os principais serviços envolvem transferência de veículos e emissão de Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV). As blitze também devem ficar desfalcadas.

Até o fim do movimento, dos 16 postos, apenas os Na Hora mantém o funcionamento. Alguns serviços também podem ser realizados pelo site (www.detran.df.gov.br).

Versão oficial

A Secretaria da Casa Civil, Relações Institucionais e Sociais diz que tem mantido diálogo com a categoria. Na segunda-feira, representantes da pasta e da direção do Detran-DF reuniram-se com o Sindetran para tratar das reivindicações. O diálogo, segundo o governo, se mantém com as demais categorias periodicamente.

Assistência social

Outra greve, a dos servidores de Assistência Social, chega ao 17º dia. Apesar de negociações com o governo, a categoria não se sente satisfeita com as propostas do governo, que não teriam avançado em relação à parte financeira.

O grupo pede o pagamento da terceira parcela do reajuste retroativo a novembro de 2015 e auxílio alimentação. Hoje, a categoria fará um ato no Tribunal de Contas do DF às 10h. Amanhã, acontecerá uma vigília no Palácio do Buriti a partir das 9h. Na manhã de sexta, o grupo fará assembleia na 515 Norte.

Saiba mais

O atendimento nas agências da Secretaria da Receita Federal em Taguatinga, Ceilândia, Brazlândia e Gama, além de no posto de fiscalização tributária da BR-060, está interrompido pelo menos até amanhã.

Isso porque uma torre de transmissão da secretaria foi acidentalmente removido em uma operação da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) contra equipamentos irregulares sobre a Caixa D’Água de Ceilândia.

Veja Também