• quinta-feira , 14 dezembro 2017

Greve do metrô: número de ônibus será ampliado, diz GDF

Águas Claras, Ceilândia, Guará, Taguatinga e Samambaia terão ônibus extras. Passageiros poderão usar bilhete único.

Passageiros embarcam em trem de metrô no Distrito Federal (Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília)

A Secretaria de Mobilidade divulgou um “plano emergencial” para atender aos passageiros de ônibus do Distrito Federal na manhã desta quinta-feira (9). Segundo o GDF, 67 ônibus extras devem circular nas cinco cidades afetadas com a greve dos funcionários do metrô.

Em Águas Claras, serão nove carros; em Ceilândia, 29; no Guará, dois ônibus extras.Taguatinga terá quatro e Samambaia 23 carros como reforço, afirmou o GDF. Ainda segundo o governo, 26 linhas farão o percurso do metrô, e o passageiro poderá usar o Bilhete Único para embarcar.

De acordo com o secretário de Mobilidade, Fábio Damasceno o metrô faz cerca de 150 mil viagens por dia e atende 170 mil pessoas.

“Vamos atender o usuário do metrô enquanto durar a greve.”

Justiça

O Tribunal Regional do Trabalho acatou o pedido da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) e determinou que, durante a greve dos empregados, o serviço opere com 90% da capacidade nos horários de pico — das 6 às 10 horas e das 16h30 às 20h30.

De acordo com a decisão do desembargador do trabalho Pedro Luís Vicentin Foltran, nos demais horários, a capacidade da frota e dos empregados em atividade deve ser de 60%. No domingo (12), por causa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o metrô deverá funcionar com 100% da frota das 8h30 às 19 horas.

A multa por descumprimento da determinação é de R$ 100 mil por dia. Os metroviários entraram em greve reivindicando reajuste salarial e contratação de funcionários aprovados no concurso de 2014.

Veja Também