• quarta-feira , 21 Fevereiro 2018

GDF põe fim em contrato com empresa por atraso em obras de Jardim Burle Marx

Prazo para entrega era 2014, para receber turistas na Copa. Data final negociada pela Novacap foi outubro de 2017; local é ocupado por usuários de drogas.

Espelhos d’água de Jardim Burle Marx, no centro de Brasília, estão inacabados quatro anos após início das obras (Foto: TV Globo/Reprodução)

A Novacap informou que vai rescindir o contrato com a empresa responsável pelas obras dos jardins de Burle Marx, entre a Torre de TV e o Congresso Nacional, por descumprimento do cronograma. A reforma deveria ter sido entregue em 2014, para receber os turistas durante a Copa.

O projeto, com potencial para ser um cartão postal da cidade, começou a ser executado em 2013 e o prazo final apresentado pela Novacap para finalização era outubro de 2017. Com isso, a companhia disse que vai punir a empresa com sanções previstas em lei.

Parede de marquise quebrada em obras do Jardim Burle Marx, no centro de Brasília (Foto: TV Globo/Reprodução)

Abandonado e sem iluminação adequada, o espaço concentra usuários de drogas e tornou-se um ponto de insegurança para quem precisa passar por ali a pé.

A tentativa de solução, no entanto, não resolveu. Nesta quarta-feira (17), a reportagem filmou as laterais quebradas, com os tijolos no chão. Do lado de dentro, foram encontradas latas de alumínio cortadas, como as usadas para consumo de crack.

Latas de alumínio cortadas usadas para consumo de crack em Jardim Burle Marx, no centro de Brasília (Foto: TV Globo/Reprodução)

Cobertores, isopores e embalagens de comida indicam que pessoas em situação de rua também habitam o local. À noite, um usuário de droga foi flagrado entrando pela parede quebrada da marquise. Ele acende a latinha logo em seguida. Outro faz o mesmo sem se esconder das câmeras, em local que seria um espelho d’água.

Usuário de droga entra em marquise do Jardim Burle Marx, em obras no centro de Brasília (Foto: TV Globo/Reprodução)

Diante deste cenário, pessoas que passam pelo local, especialmente à noite, sentem-se ameaçadas. “É muito deserto, a iluminação ainda é fraca, vários postes desses ainda não estão funcionando. Aí a gente corre o risco de ser assaltado”, disse o artesão Benedito da Silva.

“À noite, a maioria das luzes são bem apagadas, fica bastante morador de rua. É bem perigoso passar. Ainda mais a gente, que é mulher, passar aqui é bem perigoso”, afirmou a atendente Ângela da Paz.

E agora, como fica?

Obra inacabada do Jarim Burle Marx, no centro de Brasília (Foto: TV Globo/Reprodução)

Segundo a Novacap, o contrato foi rescindido com 60% da primeira etapa executada. A segunda parte da obra chegou a 30%. Devido à crise hídrica, a companhia informou que não vai finalizar o espelho d’água.

Por enquanto, será feito o plantio de árvores e de grama e finalizar o jardim por meio de “obra direta”, com uso de mão de obra da própria Novacap.

Em relação à iluminação, a Companhia Energética de Brasília (CEB) disse que vai enviar à Novacap, até sexta-feira (19), um orçamento para instalação de postes.

Veja Também