• quarta-feira , 14 novembro 2018

Ex-alunos da UnB compram computadores e livros para calouros de baixa renda

Doações vão ajudar dois estudantes de direito, filhos de empregadas domésticas. Grupo quer aumentar projeto.

Calouros de baixa renda de direito recebem computadores em evento com pais ex-alunos da UnB (Foto: Alumni Direito/Divulgação)

Ex-alunos da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília (UnB) uniram esforços para facilitar os estudos de dois calouros de baixa renda, que começaram o curso na última segunda-feira (5). Cada um deles recebeu, nesta semana, laptop e livros da área jurídica como doação da Alumni Direito – uma associação formada pelos alunos egressos.

Os dois beneficiados com a iniciativa, Roberto Augusto Brito Alves, 17 anos, e Suelen Regina Pereira dos Santos, 18, são filhos de empregadas domésticas e estudavam em escola pública até o ano passado. Antes do início do semestre letivo, eles não tinham computador em casa.

“A universidade requer muito do aluno. Então, seria difícil seguir sem um tablet ou um laptop”, diz Roberto. Morador de Santa Maria, ele divide uma casa com os pais e dois dos sete irmãos. Até segunda, ele precisava usar o celular ou pedir ajuda a algum amigo com computador para acessar a rede.

O advogado Ticiano Figueiredo, formado na UnB em 2005, reconhece a necessidade do computador ao longo do curso de direito. “O laptop é eficaz para manter o aluno atualizado com o conteúdo”, afirma.

Seleção de livros

Ao longo do dia, Suelen dos Santos passa cerca de quatro horas dentro de um ônibus no caminho entre a casa onde mora, no Paranoá, e a UnB. Como o acesso à internet é complicado dentro do veículo, a caloura pode aproveitar a espera para ler os 14 livros que ganhou da Alumni.

Os títulos têm até 300 páginas, segundo ela. A maior parte foi escrita por professores da própria UnB e ministros do Supremo Tribunal Federal, como o magistrado Luís Roberto Barroso.

Com eles, Suelen espera conhecer mais sobre as diversas áreas do direito. “Ainda não sei em qual delas quero começar a estagiar, mas gosto das áreas criminal e cível”, conta Suelen.

“Para mim, sempre foi um sonho. Estudar direito oferece grandes chances no mercado de trabalho e dá uma ótima oportunidade de fazer a diferença na vida das pessoas.”

Ala norte do Instituto Central de Ciências da UnB (Foto: Mariana Costa/Secom UnB)

‘Cultura do retorno’

Roberto e Suelen estreiam um projeto que, nos planos da Alumni, deve crescer nos próximos semestres. “Os escritórios dos integrantes de nossa associação vão deixar as portas abertas para que esses alunos de baixa renda participem de seleção para estágios”, acrescenta o presidente do grupo, Ronald Barbosa Filho.

Além do aprendizado, as vagas de estágio podem ajudar os alunos a arcar com alguns dos custos da graduação. Sem isso, muitas vezes, estudantes acabam recorrendo a empregos em turno integral – e fora da área jurídica.

“É importante para que eles conquistem a independência financeira e perseverem na universidade. Faz parte da nossa ‘cultura do retorno'”, completa.

 

Veja Também