• quarta-feira , 23 janeiro 2019

Equipe de transição discute redução de impostos com lojistas do DF

Câmara de Dirigentes Logistas do Distrito Federal entregou uma carta com pedidos ao futuro governo de Ibaneis Rocha

O futuro vice-governador do Distrito Federal, Paco Britto (Avante), e os próximos secretários da Fazenda e do Desenvolvimento Econômico, André Clemente e Rui Coutinho, respectivamente, se reuniram na manhã desta terça-feira (4/12) com representantes da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL). Na pauta do encontro promovido no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB) estava a redução de impostos.

Segundo o presidente da CDL, José Carlos Magalhães, os principais pleitos da categoria são a retirada do Diferencial de Alíquota (Difal) das empresas que optaram pelo Simples Nacional e a adesão do DF aos novos limites de tributação do programa federal. “Se a gente continuar do jeito que está a tendência é o fechamento de empresas que estão no mercado há mais de 20 anos”, comentou.

Os comerciantes entregaram uma carta com cinco pontos para a equipe de Ibaneis. Segundo André Clemente, a maioria das solicitações faz parte de um documento enviado pela equipe de transição ao GDF que visa ajustar a carga tributária do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis Inter-Vivos (ITBI), do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos (ITCD).

O grupo de Ibaneis Rocha (MDB) também prevê, com a implementação do programa Gera Emprego na próxima gestão, a isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e do Imposto sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISS) para micro e pequenas empresas que gerarem emprego no DF.

“Queremos criar uma convergência entre o governo e o setor produtivo para aquecer a economia e acabar com o desemprego. Vamos rever a burocracia excessiva e equalizar o mercado para atrair novos investimentos”, explicou o futuro secretário de Fazenda.

O ofício em questão foi assinado pelo vice-governador eleito Paco Britto (Avante) e enviado ao secretário da Casa Civil, Sérgio Sampaio, em 23 de novembro. No documento, ele solicita alteração na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e no Projeto da Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2019.

No entanto, Clemente vê dificuldades de aprovar as reduções ainda neste ano. Ele afirmou que o documento está sendo analisado pelo GDF e a expectativa é de que haja uma resposta até o fim da transição. “Algumas áreas deram uma posição contrária, mas estamos insistindo com o governo que faça essa análise e nos ajude a reduzir essa carga tributária em cima do consumo e das micro e pequenas empresas.”

Veja Também