• terça-feira , 20 novembro 2018

DF ficou ao menos 8 horas no escuro ao longo de 2017, aponta levantamento

Região do PAD-DF foi a mais atingida pelos cortes no fornecimento de energia elétrica. Dados da CEB foram obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação.

Linhas de transmissão de energia elétrica (Foto: Marcos Santos / USP Imagens)

Os moradores do Distrito Federal passaram mais de 8 horas “no escuro” durante 2017. Segundo levantamento da Companhia Elétrica de Brasília (CEB) obtido  por meio da Lei de Acesso à Informação, o DF fechou o ano com 8 horas e 25 minutos (8,43 h) sem o fornecimento de energia elétrica.

O resultado representou uma melhora de 13% na comparação com 2016, quando o DF ficou quase 10 horas sem energia elétrica, no mesmo período. A CEB atribui os índices a um “esforço técnico-gerencial-profissional”, que permitiu entregar energia a 99% dos imóveis em 2017.

Por pelo menos três anos seguidos, a região que ficou mais tempo sem luz foi o PAD-DF, zona rural próxima ao Paranoá e a Planaltina. Em nota, a companhia diz que pretende melhorar a situação no curto prazo investindo em tecnologia para reduzir o tempo de identificação de um defeito e deminuir a área impactada por ele.

 

O Congresso Nacional em dia de apagão (Foto: Jose Cruz/ABr)

Frequência

Em 2017, o consumidor do Distrito Federal teve, em média, 7,10 interrupções no fornecimento de energia. Em 2016, foram 8,08 interrupções. O limite estipulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para este tipo de prática é de 8,54 interrupções.

A média nacional do tempo em que cada estado passou sem energia elétrica deve ser divulgada apenas em março, quando as companhias elétricas informam o balanço de 2017 à agência reguladora.

Fonte: G1 DF

 

Veja Também