• sábado , 26 Maio 2018

Depois do dia mais quente do ano, temperatura no DF cai a 13°C na madrugada

Sem nuvens, o calor acumulado ao longo do dia se dissipa à noite, explica meteorologia do Inmet. Termômetros podem marcar até 32°C nesta segunda-feira

 

A manhã seguinte ao dia mais quente do ano — ao menos até agora — registrou temperaturas consideradas baixas para a estação na madrugada. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), os termômetros marcaram apenas 13°C nas primeiras horas desta segunda-feira (22/1) na região das Águas Emendadas, em Planaltina. Paradoxalmente, foi lá que o Inmet registrou o calor mais forte no Distrito Federal no domingo (21/1): 32,4°C na tarde de ontem.

A falta de chuvas explica a grande amplitude térmica sobre o DF, aponta o meteorologista Mamedes Luiz Melo, do Inmet. “Sem nuvens, o calor acumulado ao longo do dia se perde no espaço”, afirma. Por isso, o inverno brasiliense, que é a estação seca, costuma ter alta variação na temperatura. “A diferença é que, nessa época, o calor não sobe tanto”, conclui.

A temperatura mais baixa em 2018 foi cerca de 11°C, registrada também na estação automática de Águas Emendadas. Esse frio fora de época atingiu a região na madrugada de 13 de janeiro.

O veranico, que já dura uma semana, só deve terminar a partir da tarde de quarta-feira (24/1), quando há possibilidade de chuvas sobre o DF. Antes disso, calor e umidade do ar abaixo da média.

Umidade do ar pode atingir 25%

A seca fora de época, inclusive, requer do brasiliense cuidado redobrado. Nesta segunda-feira, a umidade relativa do ar atingiu 95% nas primeiras horas, o suficiente para embaçar vidros de carros.

Porém, o índice pode chegar a apenas 25%. Índice suficiente para colocar o DF, automaticamente, em estado de atenção, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Por isso, recomenda-se reforçar a hidratação ao longo do dia e evitar atividades físicas ao ar livre entre 11h e 15h.

Até esta segunda-feira, o acúmulo de chuvas registrado pelo Inmet era de 95,9 milímetros. O volume equivale a menos de 40% do previsto para janeiro. No entanto, mesmo com a estiagem fora de época, os níveis dos reservatórios mantêm tendência de alta.

Fonte: Correio Braziliense

Veja Também