• segunda-feira , 18 fevereiro 2019

Delator tenta se livrar de contas em atraso e leva sabão de Bretas

Débito ultrapassa os R$ 12 mil

Carlos Miranda deixa o presídio em Benfica – 18/11/2018 (TV Globo/Reprodução)

Carlos Miranda, operador de Sérgio Cabral e delator na Lava-Jato, recorreu ao juiz Marcelo Bretas para se livrar de uma dívida de R$ 12.241,67 por contas de luz em atraso numa propriedade no interior do Rio.

Miranda argumentou que o antigo caseiro da sua fazenda está morando no local sem sua autorização, e que foi surpreendido pela cobrança.

Ele queria que Bretas liberasse esse valor de suas contas bloqueadas pela justiça.

Bretas não gostou, e classificou o caso como desleixo. Bretas negou o desbloqueio de dinheiro, afirmando que Miranda terá de providenciar, “com os próprios recursos, o pagamento dos débitos”.

Disse ainda que “ninguém pode se beneficiar da própria torpeza”.

“(…) tendo em vista que a permanência na utilização do serviço de energia na Fazenda deu-se por desídia do requerente
que, firmado o acordo de colaboração e determinado o perdimento do imóvel,  deixou de solicitar junto à companhia de energia elétrica a interrupção do serviço, gerando um débito considerável no valor de R$ 12.241,67. Tendo em vista que, segundo o Ordenamento Jurídico Pátrio, ninguém pode se beneficiar da  própria torpeza”, disse o magistrado.  Fonte: Portal Veja

 

Veja Também