A redução nas tarifas de água e esgoto chega à população do Distrito Federal no atual cenário de crise hídrica e energética

Estudo realizado pela Adasa permitiu a redução de tarifas – (crédito: Divulgação – CEB),

Os brasilienses estão pagando menos pelo consumo de água neste mês de junho, segundo a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa). Três tipos de processos foram realizados pela agência, resultando na diminuição de tarifas na conta de água e esgoto da população.

Esta redução inédita para os consumidores só foi possível após um estudo realizado pela Adasa, que elaborou simultaneamente o ajuste da estrutura tarifária, a 3ª Revisão Tarifária Periódica e o Reajuste Tarifário Anual de 2021. Esses estudos foram baseados no novo marco legal de saneamento, previsto pela lei criada pela Adasa no Contrato de Concessão assinado junto à Caesb, que traz revisões tarifárias periódicas a cada quatro anos e também reajustes tarifários anuais.

O diretor-presidente da Adasa, Raimundo Ribeiro, falou sobre este benefício para a população do DF. “A nova tabela tarifária é fruto de um grande esforço da Adasa em trazer soluções justas para a sociedade, por meio de tarifas que sejam as menores possíveis para os usuários e, ao mesmo tempo, preservem a capacidade da Caesb de investir e de prestar um serviço de qualidade.”, disse ele.

O consumidor

A moradora do Recanto das Emas, Eliete Ribeiro, 37 anos, vê a redução da tarifa de água como algo positivo. “Um ponto positivo tanto para a sociedade como para a empresa, é que com a baixa redução, o consumidor toma para si a conscientização da importância do uso da água. Ajuda no bolso da população e faz com que a sociedade reveja a importância no uso da água dentro de casa. E mais, apesar da dificuldade financeira que estamos enfrentando, cada centavo já faz diferença no bolso do brasileiro.”, relatou ela.

O valor menor em tarifas de água e esgoto chega à população do DF no atual cenário de crise hídrica e energética, que é enfrentado por estados brasileiros das regiões Sudeste e Centro-Oeste.

Vale ressaltar que os principais reservatórios do Distrito Federal estão com o volume de água satisfatório diante do início do período de estiagem, porém, a Adasa alerta que o consumo consciente da água é um dos fatores que contribuem para a segurança hídrica da comunidade.

Escreva um comentário